O supercarro de 156.000 dólares do qual ninguém fala

  • Bloomberg
  • 3 Junho 2017

O Acura NSX 2017 está na rua há um ano, mas há grandes hipóteses de nunca ter visto nenhum por aí.

Após vários atrasos no lançamento, o carro foi ignorado. Além disso, conta com uma imagem pública frágil devido à associação com os vários Acuras dignos de esquecer por aí.

Que pena. Porque depois de testar uma versão que vale cerca de 204 mil dólares, pode dizer-se que merece mais do que ser considerado uma ostentação do Audi R8, do Mercedes AMG GT e até do McLaren 570S.

O supercarro esquecido

Este é um resumo da vida atribulada deste carro nos últimos anos: a Honda anunciou o plano de lançar um novo NSX — sucessor de uma muito elogiada primeira geração do NSX — em 2007, mas cancelou a produção devido à crise económica de 2008. Em 2011, a fabricante avisou que tinha voltado a trabalhar numa segunda geração do modelo, atualizada. Um ano depois, a empresa levou o modelo ao Salão Automóvel de Detroit, mas foram necessários mais três anos para que o modelo de produção chegasse ao mesmo salão automóvel. O NSX modernizado foi — finalmente — posto à venda no ano passado, quase uma década depois dos primeiros rumores que davam conta do carro.

Desenhado por Michelle Christensen e fabricado em Ohio, o NSX 2017 segue o mesmo estilo de ângulos calculados e agressividade moderada do NSX original, concebido no Japão em 1990. Comparado com supercarros de designs tão característicos como o Chevrolet Corvette, a calipígia Ferrari California, o robótico Nissan GT-R e o discreto Porsche 911, o NSX defende-se com elegância discreta.

E como é conduzi-lo?

Sabia que o NSX é um híbrido com tração às quatro rodas? Sem essa informação antes de pegar no volante, é difícil notar. E também não dá para perceber se vir o carro passar. Há poucos indícios do motor elétrico escondido, exceção feita a um pequeno indicador no painel e ao facto de o motor arrancar quando se para o carro fora do modo Track. Além disso, o carro é incrivelmente silencioso — conta até com um modo “Quiet” que permite uma discrição absoluta.

O NSX tem três motores elétricos: dois no eixo dianteiro e um terceiro no meio do carro, entre o motor V6 twin-turbo. Isso ajuda a alcançar 573 cavalos de potência e a fazer 9,35 quilómetros por litro na estrada, um dos melhores resultados de eficiência de combustível do segmento. (O guia para o grupo de supercarros híbridos seria o Porsche 918 Spyder, que custa 850.000 dólares e gasta 38 km/litro).

Há quem considere a tecnologia de direção usada pelo NSX um “tédio” para melhorar a aceleração e a direção. Os amortecedores “magnetoreológicos” controlam o balanço de forma independente nas quatro pontas; no modo Track, por exemplo, o carro corrige-se nas curvas para que não escorregue, nem se quiser. Chega a 60 milhas por hora (96 km/h) em 2,7 segundos; a velocidade máxima é de 307 km/h. Ou seja, as pessoas estão erradas. É um prazer conduzir este carro.

Com aceleração rápida, direção ágil e travões supervelozes, o modelo pode ser facilmente comparado com o Audi R8 e o McLaren 570S. E esse tipo de precisão, não é entediante. É emocionante.

Aliás, faça um teste por 30 minutos com o NSX e volte para contar se se divertiu.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O supercarro de 156.000 dólares do qual ninguém fala

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião