Estado “ganha” 40 milhões no jogo online

No primeiro ano desde a emissão da primeira licença de jogo online, o imposto sobre estes jogos de sorte ou azar ascendeu a 40 milhões de euros.

O jogo online está a render milhões ao Estado. Um ano depois da emissão da primeira licença, os cofres públicos já arrecadaram ligeiramente mais de 40 milhões de euros com o Imposto Especial de Jogo Online (IEJO).

“Durante o ano de 2016 (maio a dezembro), o valor do IEJO ascendeu a 30,9 milhões de euros e no primeiro trimestre de 2017 a 9,2 milhões de euros“, refere o relatório de Atividade do Jogo Online em Portugal do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos do Turismo de Portugal.

“A primeira licença para a exploração de apostas desportivas à cota online foi emitida em 25 de maio de 2016. Até 31 de março foram emitidas mais cinco licenças, não só para a exploração de apostas desportivas à cota, mas também para a exploração de jogos de fortuna ou azar”, nota.

Desde então, os 40,1 milhões de euros de imposto foram obtidos perante um “valor global de receita bruta das entidades exploradoras de 82,8 milhões de euros”.

Só durante o primeiro trimestre de 2017 verificou-se que “o valor global de receita bruta, neste período, ultrapassou os 31 milhões de euros, apresentando, assim, um crescimento de 14,7% face ao trimestre anterior“.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado “ganha” 40 milhões no jogo online

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião