Tecnológicas ditam recordes em Wall Street

Depois das fortes quedas, as bolsas norte-americanas brilharam. A recuperação dos títulos do setor tecnológico levaram tanto o S&P 500 como o Dow Jones para novos recordes.

Depois das fortes quedas, as tecnológicas voltaram aos ganhos. A recuperação do setor puxou pelas bolsas norte-americanas, ditando novos máximos históricos tanto no S&P 500 como no Dow Jones. O Nasdaq, o berço das cotadas tecnológicas, também subiu, não chegou a recorde.

Foram duas sessões de quedas acentuadas nos mercados norte-americanos, mas os receios dos investidores dissiparam-se. O otimismo voltou, com o setor a brilhar, mas os índices também. O S&P 500 somou 0,45% enquanto o Dow Jones apreciou 0,44%, ambos atingindo máximos históricos.

O Nasdaq, que viveu o pior sell-off de duas sessões registado desde dezembro, devido aos receios de que os gigantes Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google, pudessem estar a perder momentum, acabou por apresentar a maior subida: fechou a ganhar 0,73% para 6.220 pontos.

A animar a negociação esteve também a maior confiança dos investidores no comportamento da maior economia do mundo. Um crescimento que deverá levar a Fed a avançar com mais uma subida dos juros nesta quarta-feira. A expectativa de muitos economistas vai precisamente nesse sentido, devido à melhoria das condições no mercado laboral.

“A expectativa de uma subida das taxas está amplamente incorporada, e tem-se reforçado pelas mais recentes comunicações da Fed”, disse Michael Feroli, economista do JPMorgan. Economistas sondados pela Reuters veem a Fed a elevar a sua taxa de referência para um intervalo entre 1% a 1,25%, esta semana.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tecnológicas ditam recordes em Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião