Dirk Lehmann: “Um ciclo infindável: construir, medir, aprender e repetir”

  • ECO
  • 14 Junho 2017

Conhecer o cliente potencial e os problemas pode ser o ponto de partida fundamental para quem quer criar um negócio, assegura o consultor.

Dirk Lehmann é um dos chief mentors da European Innovation Academy em Portugal. O projeto, que acaba de chegar ao nosso país pelas mãos do Santander Totta, quer incentivar os universitários a criarem os seus próprios projetos empreendedores e a desenvolverem ideias de negócio. Para o consultor, a primeira reação a uma boa ideia é… esquecê-la.

1. Como se evolui de uma ideia para um projeto concreto, para uma startup?

Quando se tem uma grande ideia, a primeira coisa que queremos é esquecê-la. A ideia é o motor de arranque, é o que faz com que se crie a primeira equipa e os primeiros apoios, mas nada mais que isso. O importante é perceber quem é o cliente e quais são os seus problemas. Quando se reconhece o verdadeiro problema, deve construir-se a solução mais pequena possível e começar a enviar os materiais. Daí em diante, inicia-se um ciclo infindável: construir, medir, aprender e repetir. É isto que vai elevar a startup aos patamares seguintes. Se isto for feito, atinge-se um modelo de negócio repetível e passível de ser medido.

2. O que é que dita o sucesso de uma startup?

O destino da startup não é decidido pelos investidores, mas sim pelos mentores e pela equipa. Só o mercado e os clientes é que decidem o sucesso da startup. São eles que vão tornar a startup num sucesso raro – ou num outro membro do cemitério das startups. Transforme a interação e a satisfação dos clientes com o seu produto em formas de medição tangíveis. Isto vai retirar os floreados da questão e vai transformar a equipa num conjunto de pessoas que se guiam por dados e estatísticas. Elimine o risco com um sistema à sua escolha e comece sempre com a questão maior e mais preocupante.

3. O que diria a um CEO de uma startup acabada de criar? Qual o melhor conselho que lhe pode dar?

Pergunte-se o porquê de querer embarcar nesta aventura, pois vai ser a coisa mais difícil que já fez na vida. Só um objetivo e uma visão clara vão permitir dar continuidade à startup quando as coisas se complicarem – e acredite, vão complicar-se. Encontre pessoas que partilhem da sua paixão e com quem ache que vai ter mais hipóteses de ser bem sucedido. Lembre-se sempre que a receita é mais valiosa que qualquer investimento. Por isso comece por construir algo que as pessoas queiram, e o resto virá naturalmente.

Comentários ({{ total }})

Dirk Lehmann: “Um ciclo infindável: construir, medir, aprender e repetir”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião