Startups: ecossistema português cresce o dobro da média europeia

Conclusões do SEP Monitor Report, uma parceria entre a Mind the Bridge e a Beta-i, foram apresentadas esta terça-feira, em Lisboa.

O ecossistema empreendedor português cresce o dobro da média europeia. A conclusão é do Startup Europe Partnership (SEP) intitulado, um estudo que resulta de uma parceria entre a Mind the Bridge e a Beta-i. “No ano passado, mais de 130 milhões de dólares de novos financiamentos foram assegurados (40% do total de financiamento gerado entre 2010 e 2016)”, refere a Beta-i em comunicado.

Das 67 scaleups detetadas — às quais se juntam mais 30 prontas para escalar –, mais de 350 milhões de dólares de financiamento foram captados em 2016, um aumento de 38% face ao ano anterior. “Olhando de perto, podemos dizer que Lisboa é o hotspot de scaleup em Portugal, responsável por 221 milhões de capital levantados, 27 scaleups, 17 exits desde 2010 e 31% do novo capital angariado”, acrescenta ainda o comunicado.

O estudo refere ainda que quatro em cada cinco empresas fundadas em Portugal são startups “dual”, que contam com sedes localizadas fora do país enquanto mantêm operações relevantes no país de origem. Entre elas estão nomes como a Feedzai, OutSystems, Talkdesk, Unbabel e Veniam.

“É interessante notar que os investidores internacionais ocupam um papel importante no ecossistema de rápido crescimento português. 62% do capital disponível ara scaleups vem de fora. Eventos internacionais como o Web Summit, o Lisbon Investment Summit ou o Scale Up Porto têm sido muito importantes para fazer avançar o panorama de scaleups em Portugal”, explica Ricardo Marvão, cofundador e diretor de projetos globais da Beta-i.

Depois do “Portugal Rising”, apresentado no final de 2015, o estudo conclui que o crescimento do ecossistema nacional de startups e empreendedores está a crescer a uma velocidade que duplica o crescimento na Europa. O estudo foi apresentado a propósito da #LIS (Lisbon Investment Summit) que decorre em Lisboa entre terça e quarta-feira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startups: ecossistema português cresce o dobro da média europeia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião