Orçamento de Estado: Incêndio de Pedrógão atrasa negociações

  • ECO
  • 1 Julho 2017

António Costa queria fechar um acordo com as esquerdas para o próximo Orçamento até ao final do mês de junho. Mas o incêndio de Pedrógão forçou um atraso. Negociações prosseguem nos próximos dias.

O incêndio de Pedrógão Grande terá atrasado as negociações para o Orçamento de Estado, escreve o Público na edição deste sábado.

O objetivo de António Costa de fechar um acordo com a esquerda para o próximo Orçamento de Estado até ao final do mês de junho ficou pelo caminho. Durante duas semanas para além do primeiro-ministro e de toda a equipa do Ministério da Administração Interna também outros responsáveis setoriais tiveram que estar concentrados nas ajudas às populações afetadas pelos incêndios bem como na coordenação com os partidos à esquerda.

O Público cita fonte do Governo a dar conta de que as negociações serão retomadas nos próximos dias.

“Isto foi um drama para todos, mas agora é preciso que o país – e os ministros – retomem a normalidade”, acrescenta a mesma fonte.

Em cima da mesa das negociações com o Bloco de Esquerda e com o PCP para 2018 estarão entre outras, as progressões nas carreiras congeladas desde 2010. Apesar da pouca margem orçamental de Mário Centeno um acordo global neste ponto podia ajudar a diminuir a pressão dos sindicatos a tempo das eleições autárquicas marcadas para 1 de outubro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Orçamento de Estado: Incêndio de Pedrógão atrasa negociações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião