Estádio do Braga: Mesquita Machado suspeito de gestão danosa

  • ECO
  • 3 Julho 2017

O antigo presidente da Câmara de Braga está a ser investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Judiciária, por causa do contrato assinado em 2014.

O Ministério Público e a Polícia Judiciária investigam, por gestão danosa, o contrato assinado entre a Câmara de Braga e o Sporting Clube de Braga em 2004, com o antigo presidente da Câmara Mesquita Machado no centro da investigação. De acordo com o Jornal de Notícias, Mesquita Machado é “suspeito de gestão danosa”.

Em nove anos, desde 2004, a Câmara de Braga recebeu do clube 54 mil euros em rendas, mas pagou 900 mil euros em despesas, o que motivou esta investigação do Ministério Público e da Polícia Judiciária.

Essa renda era constituída por seis mil euros pagos anualmente pelo Braga à autarquia pela utilização do estádio, enquanto a Câmara pagava a eletricidade e outras despesas num valor que superava os 100 mil euros anuais. O contrato foi revisto, no entanto, em 2014, para que o clube pagasse as faturas da luz.

O ex-presidente da Câmara do Partido Socialista esteve à frente da autarquia bracarense durante 37 anos. Mesquita Machado é arguido, separadamente, num caso ligado à expropriação dos terrenos do antigo Convento das Convertidas, onde terá favorecido a filha e o genro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estádio do Braga: Mesquita Machado suspeito de gestão danosa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião