Desemprego na zona euro estabiliza nos 9,3% em maio

Eurostat vai proceder a correção dos dados em relação a Portugal, depois de ter apresentado números diferentes dos reportados pelo INE. Desemprego no euro está ao nível mais baixo desde 2009.

A taxa de desemprego na zona euro estabilizou em maio nos 9,3%, mantendo-se no nível mais baixo desde março de 2009. Portugal registou a quinta taxa mais elevada na região, de acordo com o Eurostat, que apresenta números diferentes daqueles que o Instituto Nacional de Estatística (INE) reportou na última sexta-feira.

O Eurostat reporta o desemprego em Portugal nos 9,8% em maio, posicionando o país no quinto lugar entre as taxas mais elevadas na região da moeda única, a seguir ao Chipre (11%). Ainda assim, este número deverá ser corrigido, conforme garantiu o INE, ao ECO. Na sexta-feira, o instituto português tinha apontado para uma taxa de desemprego provisória de 9,4% em maio.

Contactado, o INE garante que “o valor para Portugal que foi identificado [hoje] pelo Eurostat não está correto” e adianta que o organismo de Bruxelas irá retificar a informação às 16h desta segunda-feira. Com efeito, o reporte do Eurostat replica os números apurados e enviados previamente pelas entidades estatísticas nacionais.

A economia do bloco da moeda única continua a recuperar dos efeitos da crise financeira global e que afetou de forma particular a periferia da região com as crises das dívidas soberanas, com impacto social ao nível do desemprego. E são os países da periferia que continuam a registar as taxas de desemprego mais elevadas, com destaque para a Grécia (22,5%), Espanha (17,7%) e Itália (11,3%).

Alemanha e Malta, por seu turno, apresentavam as taxas mais baixas, entre 3% e 4,1%. No conjunto dos países que integram a União Europeia, a taxa de desemprego situou-se nos 7,8%. Nos EUA, a taxa ficou nos 4,3% em maio.

Fonte: Eurostat (valores em %)

Desemprego jovem baixa

A taxa de desemprego entre jovens (com idades abaixo de 25 anos) caiu para 18,9% em maio na zona euro, um nível que compara com os 21,3% registados no mesmo mês do ano passado, mostram ainda os dados da agência de estatísticas europeia.

Apesar da queda, o desemprego jovem continuava a afetar sobretudo a Grécia, Espanha e Itália, que registavam taxas de 46,6%, 38,6% e 37,0%, respetivamente. Em Portugal, a taxa ficou nos 24% em maio, abaixo dos 28,1% observados há um ano.

(Notícia atualizada às 13h01 com informações do INE)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Desemprego na zona euro estabiliza nos 9,3% em maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião