Startups na TV: A história deles dava uma série

FoundersTV, projeto do Founders Founders, cria a primeira produção dedicada aos empreendedores. Empreendedores são entrevistador e entrevistado numa conversa sem mediação.

Projeto da FoundersTV foi apresentado no início de julho de 2017. Conversas são gravadas na cafetaria da incubadora do Porto.Founders Founders

É uma espécie de talk show em formato de entrevista mas… sem moderação. Confuso? Não esteja. Acabada de nascer, a FoundersTV é um projeto de programas em vídeo em que o entrevistador está no mesmo patamar do entrevistado. E vice-versa.

O projeto lançado pelo Founders Founders — a incubadora do Porto fundada por fundadores que o ECO já deu a conhecer aqui — conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, no âmbito da Scale Up Porto, e quer ajudar a dinamizar o ecossistema de empreendedorismo.

Cinco episódios — de um total de seis previstos na primeira temporada — foram gravados esta terça-feira, na cafetaria da Founders Founders, no Porto. Já o primeiro foi gravado durante a semana Start & Scale. O formato dos programas põe frente a frente dois empreendedores a conversar sobre temas relacionados com o percurso e o crescimento das empresas, como se de uma conversa entre amigos se tratasse.

“Como as gravações aconteceram no Founders Café, com plateia, parecem mesmo conversas que podiam ter acontecido num qualquer evento de networking ou nas suas casas. Há uma espécie de voyerismo nisto. Ao mesmo tempo, os fundadores desmontam alguns mitos e pressupostos que nos parecem muito interessantes expor: sobretudo porque estão associados ao nosso contexto. Não são fundadores de Silicon Valley, ou de Londres ou de Berlim a falar sobre as suas vidas. São fundadores portugueses a conversar sobre as suas ‘situações’, idênticas àquelas que todos nós encontramos ou iremos encontrar com certeza”, explica Rui Couto, fundador do Founders Founders, ao ECO.

Numa altura em que há fundadores e profissionais de várias áreas que já têm algum conhecimento e experiência acumulados, queremos ajudar a expor isso de modo a criar um repositório que permita, por um lado, registar cada fase de desenvolvimento do ecossistema e, por outro, ajudar outras pessoas no seu percurso de aprendizagem.

Rui Couto

Founders Founders

O primeiro episódio da série será lançado ainda em julho. Os restantes vão “para o ar” em outubro. Os convidados desta primeira temporada são: Carlos Lei (HypeLabs), Paulo Cunha (ShiftForward), Catarina Simões (Last2Ticket), João Rodrigues (Xhockware), Pedro Fortuna (Jscrambler), Nelson Pereira (TOPDOX), Bruno Azevedo (AddVolt), Tiago Sá (WiseCrop), Pedro Roque (Emailbidding), Luís Vieira (B-Parts), Luís Roque (HUUB) e Felipe Ávila da Costa (Infraspeak).

“A FoundersTV será mais um instrumento da Founders Founders para o cumprimento da missão de criar um contexto positivo de crescimento individual dos fundadores e dos seus projetos”, acrescenta Rui Couto.

“Esta nova iniciativa apoiada pela Câmara Municipal do Porto e pelo Scale Up Porto. Tem uma missão bem definida: a divulgação dos empreendedores e das suas histórias, para que novos empreendedores possam ser inspirados por aqueles que estão próximos. A partilha de conhecimento dos fundadores com mais experiência pretende fazer com o que ecossistema continue a amadurecer”, avança fonte do Founders Founders em comunicado. Acompanhe os episódios no canal de YouTube do Founders Founders.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startups na TV: A história deles dava uma série

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião