Explorers: Prepare-se para correr o país em startups de turismo

Programa de ideias e aceleração de startups da Fábrica de Startups e do Turismo de Portugal começa esta segunda-feira e decorre em 12 cidades nacionais.

Doze cidades, cinco dias. O Tourism Explorers, um programa de criação e aceleração de startups ligadas ao turismo, arranca esta segunda-feira com a fase de ideias e início de constituição de equipas em 12 cidades do país, simultaneamente.

O programa, uma parceria entre a Fábrica de Startups e o Turismo de Portugal, tem como objetivo descobrir e ajudar a criar startups ligadas ao turismo: para isso contribuem os parceiros da organização, espalhados um pouco por todo o país: Porto Business School, Startup Braga, CEI – Centro de Empresas Inovadoras, TagusValley, ADRAL – Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo e Startup Angra, são alguns dos nomes presentes, assim como as Escolas de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo, Coimbra, Caldas da Rainha, Setúbal e Faro.

Assim, nos próximos cinco dias, a ideia é que as equipas trabalhem “desafios estratégicos” do setor, identificando as principais necessidades e desenvolvendo soluções inovadoras face aos problemas detetados.

Este programa cumpre a nossa grande missão de ajudar as pessoas a serem empreendedoras. Mas não só.

António Lucena de Faria

CEO da Fábrica de Startups

“Estamos aqui para facilitar a vida dessas pessoas, porque também queremos que tenham boas hipóteses de sucesso. Temos ainda como objetivo levar os nossos programas de aceleração para o interior do nosso país, onde existem muitas oportunidades para serem criados bons negócios. Estamos em 12 cidades de Portugal Continental e Regiões Autónomas, trabalhando com todas as cidades em simultâneo na criação de novas oportunidades”, explica António Lucena de Faria, CEO da Fábrica de Startups.

Para Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, “o Tourism Explorers é uma oportunidade para levarmos a todo o território nacional, conforme temos definido na nossa estratégia, a dinâmica do empreendedorismo e para afirmar o turismo como motor de desenvolvimento de novos projetos e de novas ideias, e gerador de novas oportunidades de emprego.”

Duas faces da mesma moeda

O programa Tourism Explorers divide-se em duas fases — ideação e aceleração. E se, na primeira fase, são criadas novas soluções e organizadas as equipas para desenvolver os projetos (no fim da semana serão escolhidos as melhores soluções), a fase de aceleração arranca em setembro e prolonga-se por mais de um mês. O grande vencedor da fase de ideação é anunciado 20 de julho, na Porto Business School. A aceleração, entre 6 de setembro e 18 de outubro, conhece os vencedores a 23 desse mês, na Startup Braga.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Explorers: Prepare-se para correr o país em startups de turismo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião