CaixaBI: Luta por conteúdos vai intensificar-se

A Altice deu o passo oficial para comprar a Media Capital. Esta confirmação deverá intensificar a luta pelos conteúdos audiovisuais, avisam os analistas do Caixa BI.

Já estava tudo previsto. Faltava apenas confirmação. E a luz verde chegou esta sexta-feira com o anúncio oficial de que a Altice vai lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) à Media Capital. Na opinião dos analistas do Caixa BI, este interesse não é novo, mas confirma o que se pensa que vai acontecer num futuro próximo: a luta pelos conteúdos entre os operadores de telecomunicações vai intensificar-se.

“O interesse da Altice na Media Capital não era novo e já tinha sido noticiado por várias vezes, sendo também conhecido que as negociações entre as partes estavam a decorrer”, lê-se na nota de research publicada esta sexta-feira. Ainda assim, com esta confirmação, os analistas do Caixa BI são da opinião que “uma nova disputa entre os operadores de Telecom por conteúdos possa intensificar-se”.

Esta manhã, a Impresa disparou mais de 10% e a Cofina valorizou, depois dos comunicados que davam conta da Oferta Pública de Aquisição da Altice — pela Meo — à participação maioritária que o Grupo Prisa tem na Media Capital, dona da TVI. De acordo com a informação avançada em comunicado pela Meo, a Altice quer fazer crescer o grupo no mercado português, tendo planos de aumento de investimento e aposta na TVI 24 e nos conteúdos da Plural, que quer produzir a nível mundial.

O PSI-20 abriu com ganhos ligeiros, mas inverteu para terreno negativo perante a correção dos títulos do BCP, no dia em que a OPA da Meo sobre a Media Capital marca a agenda dos investidores. As ações da Nos — rival da Altice — estão neste momento a valorizar 0,33% para os 5,49 euros.

Nota: A informação apresentada tem por base a nota emitida pelo banco de investimento, não constituindo uma qualquer recomendação por parte do ECO. Para efeitos de decisão de investimento, o leitor deve procurar junto do banco de investimento a nota na íntegra e consultar o seu intermediário financeiro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CaixaBI: Luta por conteúdos vai intensificar-se

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião