Tony Blair defende possibilidade de Reino Unido ficar na União Europeia

  • Lusa
  • 15 Julho 2017

O antigo primeiro-ministro britânico considera que o Reino Unido deve manter em aberto a possibilidade de permanecer na União Europeia caso o sentimento dos eleitores mude.

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair considera que o Reino Unido deve manter em aberto a possibilidade de permanecer na União Europeia caso o sentimento dos eleitores mude durante o período de negociação do ‘Brexit’.

A consideração racional das opções iria sensatamente incluir a opção de negociação para o Reino Unido ficar numa Europa ela própria preparada para se reformar e encontrar-nos a meio caminho”, escreveu Tony Blair num ensaio sobre a saída do país da UE.

“Dado o que está em causa e aquilo que diariamente estamos a descobrir sobre os custos do ‘Brexit’, como é que pode estar certo tirar deliberadamente da mesa a opção de um compromisso entre o Reino Unido e a Europa para o Reino Unido ficar?”, escreveu Blair, que foi primeiro-ministro do país entre 1997 e 2007.

O ensaio divulgado hoje pelo gabinete de imprensa de Blair reitera os esforços do ex-primeiro-ministro para imprimir reformas ao país que liderou durante dez anos, que disse estar “a perder o equilíbrio e estar a tropeçar, mas aparentemente sem qualquer escolha a não ser cambalear”.

O calendário de negociação proposto pela UE, e aceite por Londres, estabelece que as partes devem começar por entender-se sobre o acordo financeiro, sobre os direitos dos cidadãos expatriados e sobre a fronteira do Reino Unido com a Irlanda, antes de entrarem nas discussões de outros assuntos. O Governo britânico queria, no entanto, começar por discutir o acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Reino Unido, que deverá abandonar a União no final de março de 2019.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tony Blair defende possibilidade de Reino Unido ficar na União Europeia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião