Caldeira Cabral vê PIB a subir mais de 2,8% no 2.º trimestre

  • Lusa
  • 25 Julho 2017

O ministro da Economia sinalizou que a economia portuguesa deverá crescer mais de 2,8% no segundo trimestre, superando assim o já surpreendente crescimento homólogo do PIB no primeiro trimestre.

O ministro da Economia afirmou esta terça-feira que o crescimento da economia portuguesa está a superar as expectativas nacionais e internacionais, prevendo que a tendência se mantenha, e que o país supere a previsão do Orçamento do Estado.

“Quando todas as instituições internacionais estão a rever o crescimento em alta, isso significa que estamos, de facto, a superar as espectativas, não só das instituições nacionais, mas as espectativas das instituições internacionais, antes de perceberem os resultados da política que estamos a desenvolver”, disse Manuel Caldeira Cabral.

O ministro falava aos jornalistas após a inauguração, em Paredes, das novas instalações do grupo industrial “Laskasas”, do setor do mobiliário, que emprega 185 trabalhadores e que em 2016 faturou nove milhões de euros. Elogiando os resultados daquela unidade industrial, nomeadamente os ganhos na exportação de mobiliário, o membro do Governo frisou que as pequenas e médias indústrias do Norte do país têm dado um contributo significativo na aceleração da economia portuguesa e na criação de emprego.

“Neste momento estamos com um crescimento, no primeiro trimestre, de 2,8, e há alguns sinais de que o segundo trimestre possa ter um crescimento superior a esse. Ao longo do ano vamos superar a meta que está em OE”, acrescentou o ministro. Para o ministro da Economia, que estava acompanhado da secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, “é bom” para o país que as instituições internacionais “continuem a rever em alta o crescimento económico, o emprego, o investimento e as exportações”.

Antes, o presidente da Câmara de Paredes, Celso Ferreira, tinha assinalado o mérito daquele grupo empresarial e o contributo que deu na melhoria dos indicadores de desemprego no concelho, que baixou de 23,5%, em 2013, para os atuais 9,1%. Paredes é o maior produtor nacional de mobiliário, concentrando dezenas das maiores empresas portuguesas do setor.

As instalações inauguradas esta terça-feira em Rebordosa, Paredes, pertencem à empresa “Domkapa”, que se dedica ao fabrico de estofos, e está integrada no grupo “Laskasas”. Desde 2014, fruto da aposta no mercado internacional, as exportações do grupo aumentaram 175%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Caldeira Cabral vê PIB a subir mais de 2,8% no 2.º trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião