Situação “muito grave” em Mação. Fogo volta a ameaçar aldeias

  • Lusa e ECO
  • 25 Julho 2017

Rajadas de vento de 75 quilómetros por hora e aumento das temperaturas dificultam o combate às chamas. Foi pedido reforço de meios aéreos a Espanha, que já estão a combater as chamas.

Situação “muito grave” em Mação, com várias aldeias “em risco”, reporta o presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela, citado pela rádio TSF. Em causa estão reacendimentos nas localidades do Carvoeiro, Envendos e Cardigos, mas também novos focos de incêndio noutras freguesias do concelho. É o segundo incêndio de dimensões significativas a afetar Mação este ano.

O incêndio que deflagrou no domingo no concelho da Sertã, distrito de Castelo Branco, continua ativo com duas frentes “muito intensas” no concelho de Mação, disse também à Lusa o comandante nacional operacional Rui Esteves.

Na conferência de imprensa após a reunião do Centro de Coordenação Operacional Nacional, o comandante da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) adiantou que o incêndio de Mação, que começou há quase dois dias no concelho da Sertã, mobiliza agora 1.041 operacionais, apoiados por 326 viaturas e nove meios aéreos nacionais e dois vindos de Espanha.

Rui Esteves adiantou que os 135 habitantes retirados na segunda-feira das aldeias do concelho de Mação estão no centro Desportivo de Carvoeiro e só regressam às suas localidades quando estiverem reunidas as condições de segurança.

Foi também acionado o protocolo bilateral com Marrocos, mas ainda não há indicação sobre virá ou não algum reforço. “Podemos dizer que esta manhã a situação está um pouco mais calma do que ontem [segunda-feira] durante a tarde, mas os dois incêndios mantém-se ativos. Vamos ter também durante o dia de hoje algum vento, sobretudo nas terras altas, com rajadas de 75 quilómetros por hora e um aumento das temperaturas, o que não é muito favorável ao combate”, tinha dito Patrícia Gaspar, da ANPC, durante a manhã

Fogo alastrou ao concelho de Mação esta segunda-feiraORLANDO OLIVEIRA/TOMAR TV

“Ontem durante a tarde e início da noite foram sendo feitas evacuações de vários locais por onde o incêndio foi passando sobretudo na zona de Mação e houve de facto várias aldeias onde foi necessário proceder a uma retirada preventiva das pessoas. Estamos a falar das aldeias de Bairrada, Eira, Envendos, Casal Velho, Quebradas, Roda. Estamos a falar de uma área vasta onde existem várias povoações dispersas”, disse.

Segundo Patrícia Gaspar, parte destas pessoas regressaram às suas casas assim que as condições de segurança foram sendo restabelecidas.

“Não é possível saber neste momento o número das pessoas. As retiradas foram temporárias e as pessoas acabaram por regressar às suas habitações. A adjunta de operações adiantou ainda que hoje de manhã não há estradas principais cortadas devido aos incêndios. “Ontem [segunda-feira] foi necessário proceder a alguns cortes de vias para atuação dos meios e por segurança, mas neste momento temos indicação de que a A23 e o IC8 [que estiveram cortados na segunda-feira] foram reabertos. Não há indicação, neste momento, de vias principais cortadas”, concluiu.

Segundo a ANPC, por dominar está ainda o incêndio que deflagrou no domingo à tarde na Sertã e alastrou aos concelhos de Mação (distrito de Santarém) e Proença-a-Nova (Castelo Branco) e que 9h00 mantinha três frentes ativas e mobilizava 1.021 operacionais, com o apoio de 329 meios terrestres.

Ainda no distrito de Castelo Branco, continuava em curso o incêndio que começou em Vale do Coelheiro, concelho de Castelo Branco, e estavam a combater as chamas 404 operacionais e 124 veículos.

Fogo em Proença-a-Nova “mais calmo”

O incêndio que lavra em Proença-a-Nova “está mais calmo” esta terça-feira e a preocupação nesta manhã é conseguir “estancar” os reacendimentos, já que o fogo não está controlado, disse à Lusa o presidente do município. “O fogo está mais calmo. Há reacendimentos, visto que a área é muito extensa. A preocupação agora é conseguir estancar esses reacendimentos que vão acontecer ao longo do dia”, explicou o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo.

O autarca sublinhou que o incêndio ainda não está controlado e adiantou que perto das 09h30 houve um novo episódio que gerou risco, junto da localidade de Catraia Cimeira, mas “já foi controlado”. Neste momento, não há qualquer povoação ou localidade em risco.

O incêndio deflagrou na tarde de domingo no concelho da Sertã (distrito de Castelo Branco) e alastrou-se a Proença-a-Nova, bem como ao concelho de Mação (distrito de Santarém). Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), estão no local a combater o fogo 989 operacionais, apoiados por 312 viaturas e 11 meios aéreos.

(Notícia atualizada às 13h com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Situação “muito grave” em Mação. Fogo volta a ameaçar aldeias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião