Acionista chinês da TAP falha negócio nos EUA

Grupo HNA pretendia investir 400 milhões de dólares numa empresa de entretenimento norte-americana mas viu o seu plano ser rejeitado pelas autoridades.

Cada vez mais pressionado pelo escrutínio das autoridades, o grupo chinês HNA viu a sua oferta de 416 milhões de dólares para a compra da empresa de entretenimento e comunicações Global Eagle ser recusada pelos reguladores norte-americanos.

Este acionista da TAP pretendia investir através da sua subsidiária Shareco Technologies, mas a proposta não teve luz verde do comité de investimento estrangeiro nos EUA, anunciou esta terça-feira a Global Eagel em comunicado enviado ao mercado e citado pela agência Bloomberg. A oferta tinha sido anunciada em novembro.

Este negócio colapsa num momento em que as autoridades norte-americanas, europeias e chineses começam a apertar o escrutínio em torno deste grupo que começou por ser uma transportadora aérea regional na ilha de Hainan, mas que nos últimos anos se transformou num grande conglomerado com interesses em setores que vão desde a hotelaria (Hilton) até à banca (Deutsche Bank). Aquisições realizadas com recurso à dívida que supera já os 73 mil milhões de dólares.

Também os bancos de investimento em Wall Street já começaram a manifestar as suas reservas em relação a este grupo chinês. O Bank of America foi o último dos bancos a avisar os banqueiros de investimento para deixarem de apoiar transações do HNA, seguindo a política de outras grandes instituições financeiras como o Citigroup ou Morgan Stanley.

Crescem os receios em torno dos investimentos chineses fora de portas, circunstância que também levou o Banco Central Europeu a lançar uma investigação à legitimidade da presença do HNA no capital do Deutsche Bank.

O HNA já anunciou negócios de mais de 40 mil milhões de dólares desde o início de 2016, de acordo com a Bloomberg. Há transações pendentes, como a compra da SkyBridge Capital, fundada pelo novo diretor de comunicação da Casa Branca Anthony Scaramucci, e que está a ser avaliado pelas autoridades norte-americanas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Acionista chinês da TAP falha negócio nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião