Impresa dispara 10%. Recupera de pior sessão de sempre

As ações da dona da Sic recuperam de uma sangria de sete sessões de perdas, que se seguiu ao falhanço de uma emissão de dívida.

“Após a tempestade vem a bonança”, diz a sabedoria popular. Aquilo que está a acontecer à Impresa nesta sessão bolsista parece fazer jus a esse ditado. Os títulos da dona da Sic disparam em torno de 10%, a recuperar da pior sessão de sempre e do maior ciclo de perdas em quase dois anos.

As ações da Impresa valorizam 8,57%, para os 34,2 cêntimos, a recuperar de um tombo de 13,7% registado na sessão anterior, que fica na história como a maior queda diária desde a sua estreia em bolsa. Com a subida verificada nesta sessão, a Impresa interrompe ainda um ciclo de sete sessões de quedas, o mais prolongado desde outubro de 2015.

Ações da Impresa ganham fôlego

Este ciclo de quebras aconteceu no seguimento do cancelamento de uma emissão de obrigações no montante mínimo de 35 milhões de euros comunicado ao mercado na passada sexta-feira. A operação serviria sobretudo para a Impresa refinar a dívida anterior, bem como para financiar a expansão da sede. O cancelamento não agradou aos investidores e os analistas deram também nota disso mesmo, considerando tratar-se de uma má notícia. Foi o que aconteceu tanto com o BPI como com o CaixaBI, que lembraram precisamente o facto de, em novembro de 2018, a Impresa ter uma linha de obrigações no valor de 30 milhões de euros a vencer.

A Impresa justificou a retirada da emissão com as alterações recentes de que o setor de media foi alvo, mas fontes de mercado contactadas pelo ECO garantiram que o motivo foi outro: a operação falhou porque não houve procura por parte dos investidores. O cancelamento da operação aconteceu após dois prolongamentos sucessivos no prazo para que os investidores qualificados, a quem se destinava a emissão, pudessem participar.

Certo é que o volume de negociação dos títulos da empresa de media registado ao longo dos últimos dias sinalizam o nervosismo dos investidores. O número de títulos que diariamente têm trocado de mãos nas últimas sessões está bastante acima da média histórica. Só nas primeiras cerca de três horas desta sessão, trocaram de mãos cerca de 1,4 milhões de títulos. Este volume de negociação compara com uma média diária de 591 mil títulos registada nos últimos 12 meses.

Apesar da recente turbulência sofrida pelas ações da Impresa, os ganhos registados pelo título na sessão desta quarta-feira, prolongam o forte desempenho bolsista acumulado ao longo do ano. Desde o início de janeiro, as ações da dona da Sic valorizam 80%, sendo que recentemente beneficiaram de um empurrão no seguimento dos rumores de que poderia ser alvo de uma oferta por parte da Nos, na sequência da compra da TVI pela Altice, dona da Meo.

Comentários ({{ total }})

Impresa dispara 10%. Recupera de pior sessão de sempre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião