Reposição de salários custa 13 milhões por ano ao BCP

O banco decidiu repor antecipadamente os salários, depois de ter devolvido a totalidade do empréstimo concedido pelo Estado em 2012.

A reposição dos salários dos trabalhadores do BCP, que entrou em vigor este mês, terá um custo anual de 13 milhões de euros para o banco. O número é adiantado por Nuno Amado, presidente executivo do banco, que vê nesta reposição “um sinal de normalização”.

“Desde 2014, tivemos cortes salariais médios de 6%, que foram dos zero aos 11% para os salários mais elevados. A reposição destes salários significa, para nós, a normalização do banco“, disse Nuno Amado, durante a apresentação de resultados semestrais, agradecendo ainda aos trabalhadores por um “caminho que não foi fácil”.

A partir deste mês, o banco já vai pagar a totalidade dos salários, antecipando o prazo inicial de cortes em seis meses. A reposição antecipada foi acordada com os sindicatos, depois de o BCP ter devolvido, em fevereiro deste ano, a totalidade do empréstimo estatal concedido em 2012, no valor de três mil milhões de euros.

Os cortes salariais, disse o banco numa carta enviada aos trabalhadores, permitiram salvar 400 postos de trabalho “e ainda assegurar melhores condições de desvinculação aos colaboradores que saíram do banco no âmbito deste processo”.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Reposição de salários custa 13 milhões por ano ao BCP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião