Wall Street acelera com resultados. Facebook em destaque

Os mercados estão a agitar com os resultados das cotadas a bater as expectativas dos investidores. A decisão da Fed de manter inalterada a taxa de juro passou ao lado.

Depois de mais um dia de recordes e a decisão da Fed, Wall Street mantém o ritmo de ascensão. Os resultados trimestrais das empresas estão a superar as expectativas e têm levado os índices a novos recordes, tal como aconteceu esta quarta-feira com o Dow Jones. Esta quinta-feira, cotadas como o Facebook FB 1,97% ou a Verizon abriram em alta, depois de divulgadas as contas.

O Nasdaq é quem mais avança esta quinta-feira com uma subida de 0,47% para os 6.453,01 pontos, fruto das valorizações das cotadas tecnológicas. É o caso do Facebook — assim como da empresa que controla, a WhatsApp — que, depois de ter aumentado os lucros, têm as ações a subir mais de 5%. O mesmo está a acontecer aos títulos da empresa de telecomunicações norte-americana, a Verizon. E ainda a Paypal PYPL 0,93% que está a valorizar mais de 2%.

O Dow Jones abriu a valorizar 0,33% para os 21.780,92 pontos e o S&P 500 continua a registar ganhos tímidos, tal como tinha acontecido na sessão anterior, ao avançar 0,12% para os 2.480,83 pontos.

Esta quarta-feira, a Reserva Federal decidiu manter a taxa de juro igual e houve apenas um sinal de que a redução do balanço de 4,5 biliões de dólares será implementada “em breve”. No texto final da reunião de dois dias, a Reserva Federal diz que pretende diminuir o balanço “em breve”, algo que é interpretado como um sinal de confiança na economia dos Estados Unidos.

Esta sexta-feira o Departamento do Comércio norte-americano irá divulgar o passo da economia no segundo trimestre, o que irá dar mais pistas sobre o andamento da economia dos Estados Unidos. A expectativa é que a economia tenha acelerado para os 2,5%, graças ao consumo interno.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street acelera com resultados. Facebook em destaque

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião