Propinas passam a ser pagas em sete prestações no próximo ano letivo

As novas regras de pagamento de propinas determinam ainda que os beneficiários de bolsas só começam a pagar as propinas depois de começarem a receber a bolsa.

As propinas dos estudantes do ensino superior vão passar a ser pagas em, pelo menos, sete prestações, já a partir do próximo ano letivo. Já os beneficiários de bolsas só começam a pagar propinas quando já tiverem recebido as bolsas. O diploma que estabelece estas novas regras foi publicado, esta quarta-feira, em Diário da República.

“A propina devida pela frequência de ciclos de estudos conducente ao grau de licenciado, bem como de ciclo de estudos conducente ao grau de mestre, é objeto de pagamento em, pelo menos, sete prestações mensais, a contar do ato da matrícula, sem prejuízo da criação de outras modalidades de pagamento, total ou parcial, pelas instituições”, pode ler-se no diploma.

A nova lei estabelece ainda que “o pagamento de propinas pelos beneficiários de bolsas de ação social apenas pode ter lugar após o início do efetivo pagamento das bolsas”.

As novas regras, aprovadas no Parlamento a 30 de junho e promulgadas por Marcelo Rebelo de Sousa a 26 de julho, entram em vigor a 1 de setembro, na altura em que começa o ano letivo de 2017-2018.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Propinas passam a ser pagas em sete prestações no próximo ano letivo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião