Inês Henriques é ouro e bate novo recorde mundial na marcha

  • ECO e Lusa
  • 13 Agosto 2017

A atleta foi cronometrada em 4h05m56s, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4h08m25s e datava de 15 de janeiro de 2017.

A portuguesa Inês Henriques conquistou este domingo a medalha de ouro nos 50 quilómetros marcha dos Mundiais de Atletismo, que decorrem em Londres, juntando ao troféu o novo recorde do mundo, que já lhe pertencia.

A atleta do CN Rio Maior, de 37 anos, foi cronometrada em 4h05m56s, pulverizando o seu recorde mundial, que estava fixado nas 4h08m25s e datava de 15 de janeiro de 2017, em Porto de Mós.

A atleta portuguesa Inês Henriques, em ação na prova dos 20 km marcha dos Jogos Olímpicos Rio 2016, disputada no Rio de Janeiro, Brasil, 19 de agosto de 2016. A XXI edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, decorrem no Brasil entre os dias 06 – 21 de agosto. António Cotrim/LUSAAntónio Cotrim/LUSA

“Foi fantástico, não consigo descrever em palavras aquilo que estou a sentir. Isto é a recompensa de 25 anos de trabalho, do meu treinador Jorge Miguel e da minha equipa de Rio Maior”, afirmou, no final da prova. Para a atleta, o feito é “extraordinário”, mas alcançado com dificuldade. “Os últimos quatro quilómetros foram muito duros, mas eu comecei a fazer contas e [pensei]: ‘Só tens de acabar tranquila’. Não podia fazer muito mais esforço em termos musculares, foi mesmo gerir até ao fim”, revelou.

Foi fantástico, não consigo descrever em palavras aquilo que estou a sentir. Isto é a recompensa de 25 anos de trabalho, do meu treinador Jorge Miguel e da minha equipa de Rio Maior.

Inês Henriques

Atleta

A marchadora agradeceu aos vários portugueses que a apoiaram ao longo do circuito, junto ao palácio de Buckingham. “Estava quase em casa, porque ouvia muitos, muito portugueses”, declarou.

Em segundo lugar ficou a chinesa Yin Hang, que cortou a meta três minutos e dois segundos depois de Inês Henriques. Já o bronze foi para outra chinesa, Yang Shuqing com uma marca de 4h20m49s.

Até chegar a Londres, Inês Henriques tinha no currículo três participações olímpicas, a última das quais no Rio2016, onde alcançou o 12.º posto nos 20 km marcha. A atleta conta ainda um sétimo posto nos Mundiais de 2007 e um nono nos Europeus de 2010, sempre na distância dos 20 km.

O ouro de Inês Henriques reveste-se de um caráter duplamente histórico, porque esta é a primeira vez que se disputa a variante feminina da prova de 50 quilómetros marcha em Mundiais de Atletismo. O número de atletas femininas inscritas para disputar a prova era tão pequeno (sete mulheres) que esta acabou por decorrer em simultâneo com a prova masculina.

Primeiro-ministro e Presidente dão os parabéns à atleta

O primeiro-ministro, António Costa, felicitou Inês Henriques considerando “um motivo de orgulho para Portugal” a medalha de ouro conquistada nos mundiais de atletismo que decorrem em Londres. “Ouro e record do mundo nos 50km marcha. Brilhante, Inês Henriques! Mais um motivo de orgulho para Portugal. Muitos Parabéns!”, lê-se na mensagem do primeiro-ministro português divulgada na sua conta na rede social Twitter.

Já antes, quando ainda decorria a prova, e a atleta portuguesa liderava a competição, António Costa tinha divulgado uma mensagem de incentivo. “Força Inês Henriques, que continua na frente nos 50km marcha. Aconteça o que acontecer, já é um orgulho para Portugal”, escreveu António Costa.

Também o ministro da Educação e o secretário de Estado da Juventude e Desporto felicitaram a atleta de marcha pela sua “inesquecível exibição” nos mundiais de atletismo de Londres onde conquistou uma medalha de ouro. “O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, felicitam a atleta Inês Henriques pela sua inesquecível exibição nos Mundiais de Atletismo de Londres, conquistando a medalha de ouro nos 50km Marcha Femininos”, lê-se numa nota enviada pelo Ministério da Educação.

O Presidente da República também felicitou a atleta pela conquista da medalha de ouro nos Mundiais de atletismo de Londres e pela sua “notável prestação”. Numa curta nota divulgada na página da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa disse: “Mais uma notável prestação de uma atleta portuguesa que eleva o nome de Portugal e projeta o atletismo e o desporto nacional”.

Parte da medalha de ouro dos 50 km masculinos também é portuguesa

Parte da medalha de ouro dos 50 km marcha masculinos nos Campeonatos do Mundo de atletismo, em Londres, é portuguesa, disse o francês Yohann Diniz, que tem ascendência portuguesa. “Estou feliz por oferecer este título à França, mas também um pouco à minha família em Portugal, que me observa em Mirandela“, revelou no final da prova.

Tricampeão europeu, em 2006, 2010 e 2014, e detentor do recorde do mundo, com 3h32m33s, Yohann Diniz sagrou-se pela primeira vez campeão mundial, com o tempo de 3h33m11s, novo recorde dos campeonatos.

Diniz, que é neto de um português, contou que recebeu hoje uma mensagem de familiares que vivem em Trás-os-Montes. “Também lhes quero dedicar esta vitória”, declarou, que considerou este um “bom dia para França e Portugal” graças à vitória de Inês Henriques nos 50 km femininos. “Fico muito contente pela Inês, por ter conquistado o primeiro título de 50 km femininos”, afirmou.

Ana Cabecinha termina em sexto lugar nos 20km de marcha

Numa outra prova, os 20 quilómetros marcha houve outra portuguesa que se distinguiu: Ana Cabecinha classificou-se em sexto lugar. A atleta do Clube Oriental de Pechão terminou a prova em 1h28m57s , numa corrida que foi ganha pela chinesa Jiayu Yang, que se sagrou campeã mundial com o tempo de 1h26m19s.

Na corrida dos 20km, o pódio foi completado pela mexicana Maria Guadalupe González, prata, com 1h26m19s, e a italiana Antonella Palmisano, bronze, com 1h26m36s.

Artigo atualizado às 15h10

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Inês Henriques é ouro e bate novo recorde mundial na marcha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião