Ministério Público abre inquérito sobre viagens pagas pela Huawei

  • ECO
  • 16 Agosto 2017

Em causa estão as viagens à China que a Huawei pagou a vários políticos. O inquérito está em fase de "investigação".

O Ministério Público abriu um inquérito às viagens à China que a Huawei pagou a políticos, avança o Observador, esta quarta-feira. O inquérito é aberto depois de, no início deste mês, o Ministério Público ter começado a recolher elementos sobre este assunto.

“Os elementos recolhidos foram enviados ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa para inquérito”, disse a Procuradoria-Geral da República ao Observador. O inquérito está em fase de “investigação”.

Em causa estão as viagens à China que a Huawei pagou a vários políticos. Um deles foi Nuno Barreto, adjunto do secretário de Estado das Comunidades, que viajou à China em janeiro deste ano, com estadia paga pela Huawei e que já foi afastado pelo Governo. Isto porque as despesas pagas pela Huawei foram superiores a 150 euros, o máximo permitido pelo Código de Conduta aprovado recentemente.

Além de Nuno Barreto, também Paulo Vistas, presidente da Câmara de Oeiras, Sérgio Azevedo, vice-presidente da bancada parlamentar do PSD, Ângelo Pereira, vereador do PSD na Câmara de Oeiras, e Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela, estão envolvidos no caso do Huaweigate.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ministério Público abre inquérito sobre viagens pagas pela Huawei

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião