Centeno: Moody’s reconhece avanços no défice e no PIB

Centeno reagiu à decisão da Moody's de melhorar a perspetiva do rating da República Portuguesa para "positivo". "Esta decisão da Moody’s vem juntar-se a um crescente reconhecimento", diz.

O ministro das Finanças afirmou esta sexta-feira que a decisão da Moody’s de melhorar a perspetiva do rating de Portugal é um reconhecimento da evolução do défice e do PIB, assinalando que se junta a outros atores “institucionais e privados” que já o fizeram.

“A Moody’s vem reconhecer os avanços registados na gestão orçamental e salientar a abrangência do crescimento económico alicerçado no investimento e nas exportações”, afirma Mário Centeno, em comunicado enviado às redações. O ministro das Finanças refere que o “mais importante ainda é o facto de Portugal estar a conseguir aliar estas duas dinâmicas enquanto gera emprego e, assim, reforça a confiança no futuro”.

Mário Centeno aproveita a decisão da Moody’s, comunicada ao mercado esta sexta-feira, para realçar “um crescente reconhecimento por parte de vários atores institucionais e privados quanto à solidez da economia portuguesa“. Ainda esta quinta-feira chegou mais uma boa notícia ao Terreiro do Paço: o Instituto Nacional de Estatística reviu em alta o crescimento económico do segundo trimestre para 2,9% — o que representa uma aceleração face ao primeiro trimestre (2,8%), na comparação homóloga.

Além do PIB e do défice, o comunicado do gabinete das Finanças refere que esta decisão decorre do “impulso reformista do Governo”. É com estes três fatores que o Executivo espera convencer as agências de rating para que estas atualizem o rating da República para o grau de investimento de qualidade, sem estimar nenhum período de tempo em que isso possa vir acontecer.

“A Moody’s assinala, ainda, o eficaz controlo da despesa e a gestão credível da dívida pública, confirmando as perspetivas da sua diminuição”, acrescenta o comunicado.

(Atualizado às 22h)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Centeno: Moody’s reconhece avanços no défice e no PIB

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião