Esta startup alemã deu asas à imaginação e quer criar táxis voadores

  • ECO
  • 7 Setembro 2017

A ideia surgiu na Alemanha e o objetivo é usar avionetas que sirvam de táxis compartilhados, que podem atingir os 300km/h e transportar cinco passageiros de cada vez.

Já há alguns anos que temos vindo a ouvir que o mundo dos transportes vai sofrer uma revolução. Carros voadores sempre foram umas das coisas que muito se ouvia por aí. A ideia não se aplica literalmente, mas o conceito está todo lá.

A startup alemã Lilium decidiu marcar a diferença e teve a ideia de criar um serviço de táxis voadores, uma espécie de uber, mas com avionetas. O objetivo é ser uma alternativa ao táxi nas grandes cidades e as avionetas podem chegar a atingir os 300km/h com uma carga máxima de cinco passageiros.

A ideia já cativou o interesse de alguns investidores, nomeadamente do co-fundador do Skype, chinesa Tencent e de um dos co-fundadores do Twitter, que investiram com 90 milhões de dólares. Os veículos voadores serão elétricos, pouco ruidosos e o serviço poderá ser pedido através de uma aplicação no telemóvel.

O transporte será compartilhado de maneira a ser mais acessível para todos os cidadãos. A empresa prevê que dentro de alguns anos os táxis possam começar a ser comercializados, algo que ainda não é possível devido a problemas de homologação e de certificados.

Veja aqui o vídeo do projeto

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Esta startup alemã deu asas à imaginação e quer criar táxis voadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião