Pedrógão Grande: Três meses depois do fogo, há 19 casas reconstruídas

O fundo Revita, gerido pelo Estado para apoiar a reconstrução das casas consumidas pelo fogo de Pedrógão Grande, avançou que há 19 de 199 processos já concluídos. Quase todos já estão em andamento.

Constituído para apoiar a reconstrução das casas destruídas pelo grande incêndio de Pedrógão Grande, o fundo Revita conta neste momento com mais de dois milhões de euros, avançou a Segurança Social num comunicado. Segundo a nota, o fundo está a apoiar, direta e indiretamente, a reconstrução de 199 casas — 59 dos projetos, na maioria reconstruções integrais, estão sob responsabilidade direta do fundo.

“Até à data aderiram ao fundo 30 entidades, com donativos em dinheiro, em bens e em prestação de serviços. Os donativos em dinheiro ascendem a 2.034.309 euros”, lê-se no comunicado enviado às redações. O fundo está a funcionar em coordenação com a Cáritas Diocesana de Coimbra, com a União das Misericórdias Portuguesas e com a Fundação Calouste Gulbenkian, “que agregaram outros donativos, sendo responsáveis pela sua gestão”.

Estes protocolos de apoio às vítimas do fogo, que se focam, nesta primeira fase, nas casas de primeira habitação afetadas pelas chamas, abrangem os concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, mas também os concelhos limítrofes de Pampilhosa da Serra, Góis, Sertã e Penela.

“Foram atribuídos aos diversos fundos para reconstrução de 199 casas de primeira habitação, das quais 95% estão em andamento, com obras em projeto, em consulta de preço, adjudicação, consignadas, em execução ou concluídas. Deste conjunto, destacam-se as 73 casas que se encontram em fase mais avançada, nomeadamente 24 habitações com obra consignada, 30 com obra em execução e 19 concluídas”, refere a nota.

Diretamente ao fundo Revita está atribuída a “reabilitação de 56 casas, com um perfil de intervenção mais exigente já que se tratam, na sua maioria, de reconstruções integrais. Ainda que a execução financeira seja naturalmente mais faseada, estão neste momento em condições de passagem à fase de pagamento 23 processos”, sublinha a Segurança Social.

O fundo Revita é um dos fundos constituídos para a reconstrução de casas consumidas pelo fogo de Pedrógão Grande, que começou a 17 de junho e que provocou diretamente a morte a 64 pessoas. No início deste mês, Valdemar Alves, presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, disse ao jornal i que as três autarquias mais afetadas pelo incêndio “desconhecem o destino do dinheiro”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pedrógão Grande: Três meses depois do fogo, há 19 casas reconstruídas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião