INE quer saber o que os portugueses pensam dos transportes

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Setembro 2017

Vai decorrer o Inquérito à Mobilidade 2017, no qual os cidadãos selecionados podem não só apresentar as suas rotinas, como também elogios e queixas.

O INE vai andar pelos 35 municípios que integram as Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa a questionar os clientes dos transportes públicos.Paula Nunes / ECO

O Instituto Nacional de Estatística (INE) quer conhecer melhor as deslocações dos habitantes dos 35 municípios que integram as Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa. Em comunicado, o INE afirma querer “dar respostas a perguntas como: como nos deslocamos, quanto tempo demoramos, que distâncias percorremos, que custos temos”, entre outras.

Para este Inquérito à Mobilidade 2017, a instituição vai entrar em contacto com cerca de 20 mil alojamentos, que vão ser previamente contactados, e, para além das rotinas, a opinião dos utilizadores também vai ser um aspeto central. Será uma oportunidade para os utilizadores da Carris, da STCP, do Metro de Lisboa, do Metro do Porto, da CP, entre outros, poderem exprimir as suas queixas ou elogios.

O inquérito vai realizar-se de 16 de outubro a 17 de dezembro, com todas as respostas a serem confidenciais. Os cidadãos selecionados vão receber em casa uma carta do INE com os códigos necessários para acederem ao inquérito online.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

INE quer saber o que os portugueses pensam dos transportes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião