Sismo agita Coreia do Norte. Investigada “possível explosão”

  • Lusa
  • 23 Setembro 2017

A agência meteorológica da Coreia do Sul registou um sismo de magnitude 3.0 na Coreia do Norte. Alguns especialistas dizem que pode ter sido provocado "por uma explosão”.

A agência meteorológica da Coreia do Sul registou um sismo de magnitude 3.0 na Coreia do Norte, mas avaliou este dado como um fenómeno natural, ao contrário de especialistas chineses que falam numa “explosão”.

Um funcionário da agência sul-coreana, que não se quis identificar, explicou que hoje foi detetado um sismo na área em redor de Kilju, no nordeste da Coreia do Norte, garantindo que o abalo não foi provocado por uma explosão artificial.

Em contrapartida, o serviço sismo chinês CENC fala de um abalo com magnitude 3.4 provocado “possivelmente por uma explosão”, ressalvando que o local do epicentro é praticamente do que foi sentido a 3 de setembro quando a Coreia do Norte realizou o seu sexto e mais poderoso teste nuclear. Um teste que levou o o Conselho de Segurança da ONU a impor sanções à Coreia do Norte.

Neste sentido, a China já anunciou que vai limitar o abastecimento de petróleo à Coreia do Norte a partir de 1 de outubro. O Ministério do Comércio chinês anunciou também em comunicado a proibição geral das importações de têxteis norte-coreanos.

A China é o principal parceiro comercial de Pyongyang e, tradicionalmente, o seu principal apoio político, mas nos últimos meses aceitou a aprovação de duras sanções contra o país liderado por Kim Jong-un pelo Conselho de Segurança da ONU.

O novo pacote de sanções aprovado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, a 11 de setembro visa pressionar Pyongyang a acabar com os seus programas de desenvolvimento de armas nucleares e mísseis. As sanções foram consideradas por Pyongyang como “ato de hostilidade para eliminar fisicamente as pessoas” da Coreia do Norte.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sismo agita Coreia do Norte. Investigada “possível explosão”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião