Dólar ganha terreno junto dos investidores. Euro reforça queda

  • ECO
  • 27 Setembro 2017

O euro está a perder atratividade nos mercados. Nos EUA, o dólar ganha terreno rumo à valorização, com as recentes medidas fiscais de Trump e a possível subida das taxas de juro anunciadas por Yellen.

O euro continua a cair, acentuando a tendência registada desde o início desta semana. A moeda europeia segue a desvalorizar 0,44% para os 1,1742 dólares. A empurrar a divisa ainda mais para baixo estão as recentes declarações de Janet Yellen sobre as taxas de juro norte-americanas, mas também a política fiscal do presidente Donald Trump.

Os eventos recentes fazem subir as expetativas de valorização do dólar, tornando a moeda mais atrativa para os investidores, em detrimento do euro. Janet Yellen, líder da Reserva Federal dos EUA, anunciou uma possível subida das taxas de juro no final deste ano. Para Yellen seria imprudente deixar as taxas intactas até a economia norte-americana atingir uma inflação de 2%.

A contribuir para esta evolução do euro no mercado cambial está também Donald Trump, que anunciará uma reforma fiscal que passa por aliviar a carga de impostos junto das empresas e dos contribuintes com maiores rendimentos. Segundo a Axios, o IRC poderá cair 35% para 20%, e os impostos mais altos terão um corte dos atuais 39,6% para os 35%. Já o os contribuintes com menores rendimentos passarão por um aumento dos 10% para os 12% de impostos.

Os planos de Trump poderão assim levar a Fed a aumentar ainda mais as taxas de juro, tornando mais apetecível o investimento na moeda norte-americana face à europeia. Simultaneamente, o Banco Central Europeu mantém a taxa de juro de referência para a Zona Euro em mínimos históricos de 0%, retirando o poder atrativo do euro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dólar ganha terreno junto dos investidores. Euro reforça queda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião