Lisboa avança. Mota acelera, mas a Cimpor está suspensa

A bolsa nacional está a valorizar, impulsionada pela forte subida das ações da Mota-Engil depois da conquista de obras no valor de 500 milhões de euros em África. A Cimpor está suspensa.

A bolsa nacional continua a valorizar. Está a acompanhar a tendência positiva das restantes praças europeias num dia em que a Mota-Engil está a brilhar. A construtora ganha mais de 3%, animada pela conquista de obras em África, enquanto a cimenteira Cimpor foi suspensa de negociação depois de a CMVM ter dado luz verde à perda da qualidade de sociedade aberta.

O índice de referência da bolsa nacional, o PSI-20, arrancou a sessão a ganhar 0,16% para 5.325,78 pontos. Nos restantes mercados europeus a tendência é idêntica, com as bolsas europeias a seguirem o comportamento positivo das praças norte-americanas depois de Janet Yellen ter sinalizado que poderá acelerar o ritmo de subida de juros.

O BCP dá o maior impulso ao mercado nacional ao subir 0,87% para 23,24 cêntimos, mas o grande destaque vai para a Mota-Engil que regista uma subida de 3,11% para 2,99 euros.

A empresa liderada por Gonçalo Moura Martins chegou a ganhar um máximo de 3,94% depois de ter anunciado “a adjudicação à Mota-Engil África de um contrato em Moçambique com um valor total de cerca de 445 milhões de dólares e a assinatura pela Mota-Engil Angola de um contrato, neste país, com um valor de 76 milhões de dólares”.

EDP e Galp Energia estão a impedir uma subida mais expressiva da praça nacional ao apresentarem, as três, desempenhos negativos. A EDP cai 0,22%, já a Galp Energia corrige de máximos de 2011 ao perder 0,36% para 15,02 euros, num dia de alívio nos preços do petróleo.

A pressionar está também a Jerónimo Martins que cai 0,24% para 16,47 euros no dia em que vai inaugurar o maior centro logístico do grupo em Alfena, Valongo, um investimento de 75 milhões de euros.

Fora do PSI-20, a Cimpor está suspensa de negociação. A cimenteira, que encerrou a última sessão a cotar nos 36 cêntimos, vai sair de bolsa. “O Conselho de Administração da CMVM, na sequência do requerimento apresentado em 28 de junho de 2017 pela Cimpor, deliberou deferir, com efeitos a esta data, o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da Cimpor”. Os investidores vão receber 34 cêntimos por ação.

(Notícia atualizada às 8h18 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa avança. Mota acelera, mas a Cimpor está suspensa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião