Wall Street misto. Investidores aguardam minutas da Fed

As minutas da última reunião da Reserva Federal vão ser divulgadas esta quarta-feira. Os investidores estão a aguardar pormenores sobre a política monetária. Wall Street está em terreno misto.

Wall Street está a negociar em terreno misto. Os investidores estão a aguardar os pormenores que as minutas da Reserva Federal poderão conter. Além disso, os resultados trimestrais das cotadas começam a estar sob foco.

O Dow Jones abriu a valorizar 0,02% para os 22.835,88 pontos. Já o S&P 500 e o Nasdaq estão em queda: uma desvalorização de 0,06% para os 2.549,14 pontos e de 0,1% para os 6.580,28 pontos, respetivamente.

A atenção dos investidores está nas minutas. A taxa de juro ficou inalterada, mas os investidores estão ávidos de informação e pistas numa altura em que a Reserva Federal prepara-se para retirar os estímulos da economia. Os mercados querem saber as mais recentes perspetivas dos membros da Fed sobre a evolução da inflação e qual o peso que esta terá na decisão de subir mais a taxa de juro.

Esta quarta-feira começaram a ser divulgados os resultados trimestrais das cotadas. O fundo de investimento BlackRock revelou receitas superiores às estimativas dos analistas. A gestora de ativos, que detém grande parte da dívida portuguesa, registou 947 milhões de dólares de lucros no terceiro trimestre — um aumento de 8,2%. No total o fundo tem seis biliões de dólares em ativos. As ações responderam de forma positiva com uma subida de 0,35% para os 466,98 dólares por título.

O próprio CEO da BlackRock, Larry Fink, afirmou à CNBC que o maior medo dos mercados é um erro da Fed na política monetária. “As pessoas estão a assumir que haja mais um aperto este ano e mais três [subidas da taxa de juro] no próximo ano“, estimou Fink.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street misto. Investidores aguardam minutas da Fed

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião