PGR diz que confia na acusação do Marquês

Joana Marques Vidal diz que prorrogação do prazo das defesas é da responsabilidade do juiz de instrução. PGR diz que confia nesta e em todas as acusações do Ministério Público

“Temos de assumir que há temáticas e investigações cuja duração exige um tempo mais prolongado”. Há um tempo útil dos processos. Têm a ver com a complexidade dos assuntos”, justificou a Procuradora-Geral da República (PGR)

A titular da investigação criminal falava um dia depois da acusação da Operação Marquês, que atribuiu 31 crimes a José Sócrates e 187 (no total) aos 28 arguidos.

“Confio nesta acusação tal como confio em todas as acusações do Ministério Público”, explicou Joana Marques Vidal, questionada pelos jornalistas, na Figueira da Foz, no Congresso dos Magistrados Judiciais que decorre até sábado. “Não andamos à procura nem a inventar processos sejam eles quais forem”, disse.

A PGR diz ainda que acredita que todas as acusações existem “quando há indícios suficientes dos crimes em causa”. Quanto ao prazo de 50 dias que as várias defesas têm agora para abertura de instrução e questionada da possibilidade desse prazo ser curto, Joana Marques Vidal disse apenas que “cabe ao juiz de instrução prorrogar esse prazo, caso haja um requerimento das partes nesse sentido”, concluiu.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

PGR diz que confia na acusação do Marquês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião