BCP desliza. PSI-20 cai pela terceira sessão consecutiva

  • Rita Atalaia
  • 23 Outubro 2017

A bolsa nacional acabou por ceder os ganhos ligeiros registados no arranque da sessão. BCP e Galp Energia arrastaram Lisboa para a terceira sessão no vermelho.

A bolsa nacional arrancou o dia com ganhos ligeiros, mas não conseguiu manter-se à tona. Lisboa terminou no vermelho pela terceira sessão consecutiva, num dia dominado pelas perdas do BCP, mas também da Galp Energia. A cautela deve dominar as próximas sessões, com os investidores a aguardarem por mais resultados das cotadas, mas também pela reunião do Banco Central Europeu (BCE).

O índice de referência nacional, o PSI-20, recuou 0,29% para 5.436,28 pontos, com nove cotadas no vermelho, oito no verde e uma inalterada. “Tal como na Europa, a época de resultados em Portugal ganhará uma maior dinâmica nos próximos dias, com a publicação das contas trimestrais da Impresa, da Jerónimo Martins e da Navigator”, referem os analistas do BPI no seu Diário de Bolsa.

É a terceira sessão consecutiva de perdas para a praça lisboeta, pressionada pelas perdas do BCP: o banco liderado por Nuno Amado desceu 1,62% para 25,50 cêntimos. Mas a instituição financeira não foi a única cotada a destacar-se pela negativa. A Galp Energia desceu 1,14% para 15,56 euros, enquanto a EDP cedeu 0,07% para 3,01 euros.

No verde encerraram cotadas como a Mota-Engil (+1,09%), mas também a Jerónimo Martins (+0,45%). Em relação à dona do Pingo Doce, os analistas do CaixaBI estimam um lucro de 292 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, com as vendas a situarem-se nos 11,9 mil milhões de euros. Os resultados da Jerónimo Martins são apresentados na próxima quarta-feira.

Na semana em que o BCE, liderado por Mario Draghi, deverá centrar todas as atenções do mercado, os investidores vão manter-se cautelosos. Uma abordagem que deve refletir-se no desempenhos das bolsas europeias. Nesta primeira sessão da semana, o Stoxx 600 somou ligeiros 0,18%, enquanto as principais praças do Velho Continente seguiram o mesmo rumo. O IBEX-35 caiu 0,7%, penalizado pelos receios em torno da Catalunha.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP desliza. PSI-20 cai pela terceira sessão consecutiva

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião