IEFP: Desemprego continua a cair apesar de maior afluência aos centros de emprego em setembro

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 23 Outubro 2017

Só no mês de setembro, inscreveram-se quase 59 mil desempregados nos centros de emprego. Mas o total de inscritos continua em queda e é o valor mais baixo desde final de 2008.

Tal como tem vindo a acontecer em anos anteriores, a afluência aos centros de emprego aumentou em setembro. Só nesse mês, 58.887 pessoas inscreveram-se como desempregadas, um aumento de 38,2% face ao mês anterior. Ainda assim, o número total de inscritos continua a cair: ao todo, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) regista 410.819 desempregados.

Quando a análise incide no número de inscritos ao longo do mês, os números costumam ser mais significativos em setembro. Ainda assim, os quase 59 mil desempregados que deram entrada no IEFP no mês passado ficam abaixo dos mais de 65 mil inscritos durante o mês de setembro de 2016. Portanto, ainda que o número tenha crescido 38,2% face a agosto de 2017, caiu 10% comparando com setembro de 2016.

Apesar da subida em cadeia do número de novos inscritos, o total de desempregados continua a cair. No final do mês de setembro, os centros de emprego contavam com 410.819 desempregados, menos 1,8% face a agosto e menos 16,3% comparando com o período homólogo. É preciso recuar a novembro de 2008 para encontrar um valor mais baixo.

Além de desempregados, o IEFP contava ainda com mais de 90 mil ocupados (em formação ou programas de emprego), mais 3,3% do que no mês anterior, mas menos 10,6% comparando com o ano anterior. Acrescem quase 58 mil empregados e ainda cerca de 23 mil indisponíveis temporariamente (por motivos de doença).

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

IEFP: Desemprego continua a cair apesar de maior afluência aos centros de emprego em setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião