Cláudia Goya: “não temos nenhum plano para implementar outras transferências” de trabalhadores

  • ECO
  • 28 Outubro 2017

CEO da Altice diz que a PT esteve "desde o primeiro momento" na "linha da frente a recuperar e a garantir as comunicações das populações" afetadas pelos incêndios.

Na primeira entrevista como CEO da Altice, Cláudia Goya garante que não há planos para implementar outras transferências de trabalhadores, um processo que já gerou críticas e originou até propostas de alteração legislativa no Parlamento.

“Neste momento não temos nenhum plano para implementar outras transferências, mas vou ser sincera: na nossa forma de olhar para esta análise de competência alargada, não descuramos todas as possibilidades que existem“, afirma, em entrevista ao Dinheiro Vivo. “O tema da mobilidade é importante, não só na PT, mas em todas as empresas que se pretendam transformar”, acrescenta ainda.

Já quanto aos incêndios que afetaram o país, a CEO da Altice diz que a PT esteve “desde o primeiro momento” na “linha da frente a recuperar e a garantir as comunicações das populações”. “Já temos 100% de recuperação na rede móvel, no SIRESP, na Televisão Digital Terrestre (TDT), estamos a cerca de 6 a 7% de uma recuperação total da rede fixa”, refere Cláudia Goya.

Deixando a ressalva de que não se pode substituir ao SIRESP, a líder da Altice garante que a PT tem cumprido com os Service Legal Agreements (SLA) definidos no contrato. E mostra-se disponível para trabalhar com o Governo, agora que o Estado assumiu 54% do SIRESP.

Comentários ({{ total }})

Cláudia Goya: “não temos nenhum plano para implementar outras transferências” de trabalhadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião