Cuatrecasas em conferência na Bloomberg

O sócio João Mattamouros Resende irá analisar, à luz de recentes alterações políticas, as mudanças na forma de fazer negócios nas principais economias lusófonas

A Cuatrecasas vai participar, pelo segundo ano consecutivo, na conferência “Business in Portuguese” que vai decorrer no auditório da Bloomberg, em Londres, já na terça-feira.

João Mattamouros Resende, sócio de direito societário da Cuatrecasas, será um dos oradores deste evento, em que será analisado o financiamento de negócios nos países lusófonos e de que forma as empresas estão a adaptar o investimento aos seus programas ambientais, de sustentabilidade e de governance (ESG).

Entre os participantes encontra-se o embaixador de Portugal no Reino Unido, Manuel Lobo Antunes, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e atual presidente do conselho de administração do Millennium BCP, António Monteiro, e representantes de entidades como Banco Africano do Desenvolvimento, Bolsa de Valores do Brasil, Abardeen Assest Management ou CDC Group.

João Mattamouros Resende integra o primeiro painel de debate que irá analisar, à luz de recentes alterações políticas, as mudanças na forma de fazer negócios nas principais economias lusófonas, numa perspectiva jurídica e económica.

Que impacto teve a alteração do preço das comodities nestes mercados? Que setores económicos revelam melhor desempenho e quais as perspetivas e oportunidades para o futuro? Serão algumas das questões a debater por este painel que conta igualmente com a participação de Norman Hay, executive chairman da Kingbird Commodities, que distribui alimentos e medicamentos em África; Barnaby Fletcher, analista da Control Risks, uma consultora especializada em risco global; e Sergio Gullo,chief representative officer para a Ásia e região da EMEA da B3, a bolsa de valores do Brasil.

A organização do evento cabe à Câmara de Comércio Portuguesa no Reino Unido e conta com o apoio da Bloomberg.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cuatrecasas em conferência na Bloomberg

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião