Equipas de combate aos fogos vão ter mais 16,2 milhões nos próximos dois anos

  • Juliana Nogueira Santos
  • 2 Novembro 2017

O aumento da despesa das equipas de combate a incêndios foi aprovada em Conselho de Ministros e prevê que estas estejam dotadas dos equipamentos "imprescindíveis" à sua atividade.

O Governo aprovou o aumento da despesa para a compra de veículos por parte das equipas de combate aos incêndios, desde os sapadores aos vigilantes e agentes florestais, dotando o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas de 8,1 milhões de euros anuais para tal.

A Resolução aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros “autoriza a realização de despesa com a aquisição de veículos para a constituição e reequipamento de equipas de sapadores florestais, de vigilantes da natureza, do corpo nacional de agentes florestais e de coordenadores de prevenção estrutural”, no valor máximo de 16.260.162,60 euros mais IVA, entre 2018 e 2019.

Esta decisão surge no âmbito da reforma do setor florestal, que prevê a constituição de quinhentas equipas de sapadores florestais, que estarão em plena operacionalização em 2019, e a renovação dos corpos de vigilantes e agentes. Para que estes sejam “dotados dos necessários meios de vigilância, de primeira intervenção e de apoio ao combate de incêndios”, estes corpos poderão então comprar mais equipamento operacional, “imprescindíveis para o normal funcionamento destas estruturas e para cumprimento dos objetivos e metas”.

“Orgulho-me muito de ter feito parte do Governo que, há 20 anos, com o já então ministro da Agricultura Capoulas Santos, criou as equipas de sapadores florestais. Orgulho-me de, há dez anos, de ter criado as zonas de intervenção florestais. E orgulho-me agora de ser primeiro-ministro e descongelar o programa de sapadores florestais. Desde 2009 que não havia nenhuma nova equipa de sapadores florestais”, disse António Costa, em agosto, quando foram apresentadas 20 novas equipas de sapadores florestais.

O encargo financeiro que decorrerá da dotação e renovação das equipas de prevenção e combate fará parte do orçamento do Fundo Florestal Permanente e do Fundo Ambiental que ficarão sob a alçada do ICNF.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Equipas de combate aos fogos vão ter mais 16,2 milhões nos próximos dois anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião