Altice afunda mais de 10% em bolsa. Receitas da Meo caem 3%

Ações da Altice sob forte pressão esta sexta-feira. Os títulos derrapavam mais de 10% na bolsa de Amesterdão para mínimos de agosto do ano passado.

As ações da Altice na bolsa de Amesterdão estão a afundar mais de 10% esta sexta-feira, naquela que é a pior sessão intradiária desde junho do ano passado. Os títulos desvalorizavam para 14,50 euros com um volume de transações cerca de duas vezes acima da média. A queda surge após um comunicado do grupo que detém a Meo, onde a empresa assume que os resultados do ano de 2017 deverão ficar no “limite mínimo” das suas previsões, de acordo com o Financial Times [acesso condicionado].

A meio da manhã, os títulos caíam 10,17% para 14,50 euros, um mínimo desde agosto de 2016. É a pior sessão intradiária desde 24 de junho do ano passado. Em causa, a apresentação de resultados do terceiro trimestre do grupo liderado por Patrick Drahi, onde se lê que o lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) referente à atividade deste ano deverá ficar “no limite mínimo” do intervalo estimado pela empresa para o crescimento neste ano.

Atrasos na redução de custos de reestruturação em França estarão a ofuscar a força que o negócio da TV por subscrição tem vindo a ganhar nos Estados Unidos, onde a Altice adquiriu recentemente a Cablevision, um negócio efetivado em junho de 2016. Numa conferência telefónica com jornalistas, Michel Combes, CEO do grupo, admitiu que, este ano, só será alcançado “cerca de um terço do objetivo de 400 milhões de euros” que a empresa esperava poupar no decorrer do ano, ficando assim no “limite mínimo do que poderia ter sido possível”.

Altice em queda na bolsa de Amesterdão

Fonte: Bloomberg

Receitas da Meo caem mais de 3%

A Altice detém a Meo em Portugal, onde apresentou esta quinta-feira receitas de 566,2 milhões de euros no período entre julho e setembro. Trata-se de uma queda de 3,1% em relação ao mesmo período de 2016. O EBITDA ajustado cifrou-se em 265 milhões de euros, menos 1,2% em termos homólogos, enquanto o investimento operacional aumentou para 107,1 milhões de euros, um aumento de 7,2%. A queda nas receitas da Meo é explicada com uma “redução nas receitas brutas do tráfego internacional”.

A Meo conquistou ainda mais de 35.000 novos subscritores líquidos no trimestre graças à expansão da sua rede de fibra ótica e perdeu outros 11.000 clientes no mesmo período. O período abrange as medidas corretivas impostas pela Anacom na sequência das alterações contratuais irregulares realizadas no ano passado, em que a Meo deu a possibilidade de serem feitas rescisões contratuais sem custos durante um período de 15 dias em agosto. No entanto, segundo a marca, o número é o mais baixo desde o segundo trimestre de 2014.

No global, o grupo Altice registou receitas de 5,75 mil milhões de euros no terceiro trimestre. As estimativas apontam para um prejuízo na ordem dos 236 milhões de euros no mesmo período, segundo analistas sondados pela Bloomberg. As estimativas apontam ainda para perdas superiores a 472 milhões na totalidade do ano e existem preocupações em torno da elevada dívida da empresa, que ronda os 50 mil milhões de euros.

(Notícia atualizada às 11h22 com mais informações)

Comentários ({{ total }})

Altice afunda mais de 10% em bolsa. Receitas da Meo caem 3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião