Portugal teve nota máxima no sistema de prevenção ao branqueamento de capitais

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 6 Novembro 2017

A par da Espanha e da Itália, Portugal está no topo dos sistemas mais eficazes, entre os 16 países do Grupo de Ação Financeira já avaliados.

O sistema português de combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo foi avaliado com nota máxima no plenário do Grupo de Ação Financeira, informa um comunicado do Ministério das Finanças.

“O sistema português de prevenção e combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo e da proliferação de armas de destruição em massa foi avaliado com nota máxima no plenário do Grupo de Ação Financeira — GAFI/FATF — que se realizou no passado dia 1 de novembro, em Buenos Aires”, adianta ainda.

Portugal, tal como Espanha e Itália, fica agora “no topo dos sistemas mais eficazes, entre os 16 países do GAFI/FATF já avaliados“. O GAFI/FATF agrupa 35 países ou territórios e duas organizações internacionais.

O Ministério das Finanças diz que esta avaliação “é da maior importância para a credibilidade do sistema financeiro e não financeiro português, na linha da política prosseguida pelo atual governo”, recordando ainda que foram tomadas medidas para “aperfeiçoar o sistema nacional”. É o caso, por exemplo, dos diplomas que aprovam o regime do registo central do beneficiário efetivo ou que proíbem a emissão de valores mobiliários ao portador ou a utilização de dinheiro em transações superiores a 3.000 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal teve nota máxima no sistema de prevenção ao branqueamento de capitais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião