Petróleo cada vez mais perto dos 65 dólares em Londres

  • ECO
  • 7 Novembro 2017

O petróleo está a atingir novos máximos de mais de dois anos, com o Brent cada vez mais perto dos 65 dólares. As detenções na Arábia Saudita dão força ao prolongamento dos cortes de produção da OPEP.

O petróleo continua a valorizar. Está a tocar novos máximos de mais de dois anos, com o Brent, negociado em Londres, cada vez mais perto dos 65 dólares por barril, perante a perspetiva de que a detenção de vários príncipes e oficiais da Arábia Saudita dê mais força ao prolongamento dos cortes de produção por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A onda de detenções realizada na Arábia Saudita levou o preço do barril do petróleo para os máximos históricos desde julho de 2015. Depois da subida no arranque da semana, o barril de Brent continua a valorizar 0,22%, fixando-se nos 64,41 dólares. Ao mesmo tempo, o WTI (negociado em Nova Iorque) ganha 0,03% para 57,37 dólares.

As detenções feitas pela comissão anticorrupção, liderada pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, eliminaram potenciais rivais da Arábia Saudita. “O facto de o príncipe herdeiro saudita apoiar uma extensão de cortes no petróleo é uma das razões pelas quais os investidores estão a ver isso como um sinal positivo” para o petróleo, diz Barnabas Gan, economista da Overseas-Chinese Banking, à Bloomberg.

Desde o início de setembro, o petróleo acumula uma valorização de mais de 20%, reflexo do sucesso da estratégia de corte de produção da OPEP. “O principal fator a ter em conta [para a manutenção ou não desta tendência] é se os restantes países produtores de petróleo aproveitam estes preços mais elevados para começarem a exportar mais, particularmente os EUA”, acrescentou Gan.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Petróleo cada vez mais perto dos 65 dólares em Londres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião