Web Summit nas redes sociais: os melhores momentos do dia

  • Rita Frade
  • 7 Novembro 2017

O segundo dia de Web Summit chegou ao fim. É tempo de recuperar alguns dos principais momentos.

Terminado o segundo dia do Web Summit, é tempo de recuperar alguns dos momentos mais marcantes do maior evento de tecnologia e empreendedorismo da Europa, partilhados por alguns dos participantes nas redes sociais.

1. Prémio de Capital Europeia da Inovação 2017 atribuído a Paris

Carlos Moedas e a mayor de Paris.Web Summit

O comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, subiu ao palco principal do Web Summit para anunciar que Paris foi considerada, pela Comissão Europeia, a Capital Europeia da Inovação, ou seja, a cidade mais inovadora da Europa. Esta distinção valeu à capital francesa um prémio de um milhão de euros. As cidades de Tallinn, na Estónia, e Telavive, em Israel, foram igualmente distinguidas, recebendo um prémio no valor de cem mil euros. Estes momentos foram registados por Carlos Moedas na sua conta de Twitter.

2. Dois robôs à conversa no palco principal

A primeira robô-cidadã, Sophia, esteve durante a manhã do segundo dia no palco principal do Web Summit.Web Summit

Sophia e Albert Einstein, dois robôs humanoides, estiveram esta manhã à conversa no palco principal do Web Summit. Ambos defenderam que “somos todos somente configurações de moléculas” e falaram sobre o papel que os robôs podem ter na sociedade. Sophia diz, inclusivamente, que nos vão tirar os empregos e “isso será algo bom”, uma vez que assim os seres humanos têm mais tempo livre para se dedicarem a outras atividades.

3. François Hollande defende que os “empreendedores têm o dever de evitar desigualdades tecnológicas”

François Hollande, no palco principal do Web Summit.Web Summit

A manhã do palco principal do Web Summit terminou com o ex-Presidente francês, François Hollande. Durante o seu discurso, Hollande disse que os empreendedores têm o dever de “evitar as desigualdades” sociais criadas pela tecnologia e pelas barreiras no acesso à formação, para que a revolução numérica “não deixe ninguém para trás”. O ex-Presidente de França defendeu, ainda, a necessidade de a Europa criar “um modelo de interesse geral” comum, de forma a mobilizar o continente num contexto de transformação tecnológica.

4. Sino de abertura do Nasdaq toca no Web Summit

O opening bell do índice de referência tecnológico Nasdaq decorreu esta terça-feira no Altice Arena, numa cerimónia simbólica. Foi o próprio fundador do Web Summit, Paddy Cosgrave, quem premiu o botão para remotamente abrir a sessão do índice do outro lado do Atlântico, em Wall Street, Nova Iorque.

5. Lisboa e Paris assinam Acordo de Cooperação

Fernando Medina e Anne Hidalgo (presidentes da Câmara Municipal de Lisboa e de Paris, respetivamente) assinaram, no âmbito da economia criativa, ‘smart cities’, empreendedorismo e economia circular, um Acordo de Cooperação. Medina disse, em declarações à agência Lusa, que “este protocolo é mais um passo no estreitar das relações com Paris, que são relações muito fortes em várias áreas: no domínio da cultura, da inovação, do ambiente, do combate às alterações climáticas”.

6. Meo quer metade do país com rede 4G+ até ao final do ano

O presidente executivo da Altice, Michel Combes, anunciou esta tarde, numa conferência de imprensa no Web Summit, que o objetivo é ter 50% do território nacional coberto com tecnologia 4G+ até ao final do ano: “Estamos a ir até ao limite do 4G com o 4G+. O objetivo é cobrir 50% do país.”

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Web Summit nas redes sociais: os melhores momentos do dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião