Importações voltam a crescer mais do que exportações em setembro

As exportações aumentaram 5,8% em setembro, abaixo do aumento de 8,1% das importações.

As exportações de bens voltaram a crescer a um ritmo menos acentuado do que as importações no mês de setembro, levando o défice comercial a agravar-se para 1.181 milhões de euros. Isto depois de, em agosto, as exportações terem crescido, pela primeira vez neste ano, a um ritmo mais acelerado do que o das importações. Os dados foram revelados, esta quinta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As vendas de bens para o exterior aumentaram 5,8% em setembro, em relação ao mesmo mês do ano passado, totalizando 4,6 mil milhões de euros. A contribuir para esta evolução esteve apenas o comércio dentro da União Europeia (UE), já que as vendas para fora da UE caíram. Foram sobretudo as exportações de fornecimentos industriais e os combustíveis e lubrificantes que contribuíram para este resultado.

As importações, por seu lado, totalizaram 5,8 mil milhões de euros em setembro, um aumento homólogo de 8,1% que também fica a dever-se às compras feitas aos países da UE. Também nas importações, foi a categoria de fornecimentos industriais que mais contribuiu para o aumento.

Importações crescem mais do que exportações (valores em milhões de euros)

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

Feitas as contas, o défice da balança comercial agravou-se em 180 milhões de euros em relação a setembro de 2016, totalizando 1.181 milhões de euros no final de setembro deste ano. Este valor representa, ainda assim, uma melhoria de 112 milhões em relação ao défice que tinha sido registado em agosto deste ano.

Espanha manteve-se como o principal parceiro comercial de Portugal, tanto para as exportações como para as importações, mas foi para a Alemanha que as vendas de Portugal mais aumentaram: as exportações para a Alemanha totalizaram 556 milhões de euros em setembro, mais 11,7% do que no mesmo mês do ano passado.

No conjunto do terceiro trimestre do ano, as exportações aumentaram 7,6%, enquanto as importações aceleraram 10,9%. Já no acumulado de janeiro a setembro, as exportações totalizam 40,9 mil milhões de euros, mais 10,7% do que em igual período do ano passado. As importações ascendem a 50,9 mil milhões de euros neste período, um aumento homólogo de 13,2%.

Notícia atualizada às 11h36 com mais informação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Importações voltam a crescer mais do que exportações em setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião