Portugal importa mais do dobro da quantidade de sardinha que exporta

  • Lusa
  • 4 Novembro 2017

O país continua a importar o dobro da quantidade de sardinha que exporta, segundo dados do INE. Vendeu 6,1 mil toneladas e comprou mais de 14,5 mil toneladas entre janeiro e agosto deste ano.

Portugal continua a importar mais do dobro da sardinha que exporta, segundo dados do INE que indicam a venda de 6,1 mil toneladas e a compra de mais de 14,5 mil toneladas entre janeiro e agosto deste ano. Segundo os dados preliminares facultados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) à agência Lusa, nos primeiros oito meses deste ano, Portugal exportou 6,1 mil toneladas (quase 6,2 mil toneladas quando se incluem dois géneros – sardinops e sardinelas), contabilizando peixe fresco e congelado. O valor foi de quase 12 milhões de euros.

No mesmo período de 2016 as vendas ao exterior, segundo dados provisórios do INE, ultrapassaram as 4,8 mil de toneladas (quase 5 mil de toneladas, com a inclusão dos géneros sardinops e sardinelas) e os 10,8 milhões de euros. Na totalidade do ano passado, a exportação foi de 7,5 mil de toneladas, correspondendo a 15,4 milhões de euros.

Nas importações, com destaque para o peso da sardinha congelada, as estatísticas provisórias mostram em 2016 um total de quase 25 mil toneladas (25,6 mil toneladas com géneros) e um valor de 32,6 milhões de euros. A importação de espécie congelada chegou quase às 18 mil toneladas e a aproximadamente 20 milhões de euros.

Na comparação com os primeiros oito meses de 2016, a venda ao exterior aumentou em 1,3 mil toneladas (6,1 mil toneladas este ano e quase 12 milhões de euros) este ano, face às 4,8 mil toneladas no ano passado e aproximadamente 11 milhões de euros.

Segundo o INE, com fonte no Comércio Internacional de Bens, até agosto de 2017 foram importadas mais de 11 mil toneladas de sardinha congelada (12,4 milhões de euros), enquanto no mesmo período em 2016 não se tinha chegado às 10 mil toneladas (10,5 milhões de euros). Uma subida de 1,2 mil toneladas é a diferença em termos de importação, já que até agosto de 2017 se somavam 14,5 mil toneladas (quase 19 milhões de euros) contra as 13,4 mil toneladas de sardinha no período homólogo (cerca de 18 milhões de euros) de 2016.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal importa mais do dobro da quantidade de sardinha que exporta

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião