Dança de cadeiras na petrolífera estatal angolana. Quem entra e sai da Sonangol?

A petrolífera estatal angolana vai ter uma administração renovada. Apenas dois administradores não executivos mantém-se no Conselho de Administração da empresa. Conheça a equipa completa.

Isabel dos Santos foi exonerada esta quarta-feira da Sonangol pelo presidente angolano. A nota de imprensa da Casa Civil do Presidente da República refere que os decretos assinados exoneram os membros do Conselho de Administração da petrolífera estatal e nomeiam uma equipa renovada. Só dois administradores não executivos é que continuam a exercer as suas funções.

Segundo a Agência Angola Press, além de Isabel dos Santos, também foi exonerada a restante equipa com poder executivo. Há cerca de mês e meio, a então presidente do Conselho de Administração da empresa tinha renovado a estrutura interna da petrolífera angolana.

O substituto da filha do ex-presidente angolano já esteve na empresa, mas tinha sido demitido pela própria empresária. Segundo a Lusa, Isabel dos Santos despediu Carlos Saturnino, no final do ano passado, com a acusação de má gestão e de graves desvios financeiros.

Entre as entradas está Sebastião Pai Querido Gaspar Martins, que já tinha estado no Conselho de Administração da Sonangol. Já Luís Ferreira do Nascimento José Maria foi administrador executivo da Sonair, a transportadora aérea detida pela Sonangol.

A Sonangol detém uma participação de 15,24% no BCP e ainda uma participação na Amorim Energia que, por sua vez, detém 33% da Galp. Ainda em outubro deste ano, Isabel dos Santos garantiu que a posição da Sonangol no BCP era “para manter”.

Quem sai?

  • Isabel dos Santos, do cargo de Presidente do Conselho de Administração;
  • Eunice Paula Figueiredo Carvalho, do cargo de Administradora Executiva;
  • Edson de Brito Rodrigues dos Santos, do cargo de Administrador Executivo;
  • Manuel Lino Carvalho Lemos, do cargo de Administrador Executivo;
  • João Pedro de Freitas Saraiva dos Santos, do cargo de Administrador Executivo;
  • José Gime, do cargo de Administrador Não Executivo;
  • André Lelo, do cargo de Administrador Não Executivo;
  • Sarju Raikundalia, do cargo de Administrador Não Executivo.

 

Quem entra?

  • Carlos Saturnino Guerra Sousa e Oliveira – Presidente do Conselho de Administração;
  • Sebastião Pai Querido Gaspar Martins – Administrador Executivo;
  • Luís Ferreira do Nascimento José Maria – Administrador Executivo;
  • Carlos Eduardo Ferraz de Carvalho Pinto – Administrador Executivo;
  • Rosário Fernando Isaac – Administrador Executivo;
  • Baltazar Agostinho Gonçalves Miguel – Administrador Executivo;
  • Alice Marisa Leão Sopas Pinto da Cruz – Administradora Executiva;
  • José Gime – Administrador Não Executivo;
  • André Lelo – Administrador Não Executivo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dança de cadeiras na petrolífera estatal angolana. Quem entra e sai da Sonangol?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião