Na galáxia Michelin, Portugal já tem 28 estrelas

Dois restaurantes portugueses trouxeram para casa mais duas estrelas Michelin. Portugal conta, agora, com 18 restaurantes com uma estrela e cinco com duas estrelas.

Portugal continua a dar cartas em todas as categorias. Desta vez foi na gastronomia, depois de trazer para casa mais dois restaurantes com as suas primeiras estrelas Michelin. Os critérios são exigentes, mas o país tem estado à altura, depois das nove estrelas angariadas o ano passado, os portugueses podem agora visitar 23 restaurantes em território nacional com, pelo menos, uma estrela Michelin.

Foram dois os restaurantes nacionais que angariaram as suas primeiras estrelas Michelin na edição de 2018 do Guia Espanha e Portugal, que pretendia destacar o crescente gosto pela alta gastronomia. A cerimónia decorreu em Tenerife, nas Canárias, e contou com cerca de 500 convidados, entre chef’s de cozinha, empresários e imprensa espanhola e portuguesa.

O restaurante Vista, em Portimão, do chef João Oliveira, alcançou a sua primeira estrela, assim como o Gusto, em Almancil, do alemão Heinz Beck e do italiano Daniele Pirillo. “As honras do ansiado galardão no país lusitano vão para os restaurantes Gusto, que deslumbra com pratos com vincado cariz mediterrânico internacional, e Vista, onde se assina uma equilibra proposta de linha moderna, sempre cimentada à volta dos produtos da zona e do mar”, dizia a Michelin, na divulgação das novidades para o próximo ano.

Portugal fica, assim, a contar com 23 restaurantes dignos de estrelas Michelin — 18 com uma estrela e cinco com duas estrelas. O ECO preparou uma fotogaleria para conhecer os nossos ‘Ronaldos’ da gastronomia.

Restaurantes portugueses premiados com Estrela Michelin

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Na galáxia Michelin, Portugal já tem 28 estrelas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião