Airbnb entrega 3,1 milhões de euros em taxa turística a Lisboa

  • Juliana Nogueira Santos
  • 27 Novembro 2017

A empresa gerou 3,1 milhões em taxa turística no ano de 2017, um montante que ascende aos cinco milhões de euros desde 1 de maio de 2016.

A Câmara Municipal de Lisboa recebeu 3,1 milhões de euros da Airbnb, fruto da taxa turística cobrada durante este ano de 2017. A informação foi divulgada às redações pela empresa que afirma que, desde 1 de maio de 2016, o montante entregue à Câmara ascende aos cinco milhões de euros.

“A Airbnb, líder mundial em plataformas de alojamento local e comunitário, acaba de anunciar que gerou uma receita de 3,1 milhões de euros em taxas turísticas durante 2017 em Portugal (desde o início do ano até ao momento) “, pode ler-se no comunicado. “Com base na parceria entre a Airbnb e a Câmara Municipal de Lisboa — relativa à coleta da taxa turística no valor de um euro por cada noite passada na capital — desde 1 de maio de 2016 a Airbnb já recolheu e entregou às autoridades do município de Lisboa um total de quase cinco milhões de euros.”

“Queremos ser bons parceiros para Portugal e, por isso mesmo, estamos orgulhosos de introduzir esta ferramenta de registo e de ajudar as famílias locais a partilhar as suas casas e a seguir todas as regras. Estamos também cientes de que o alojamento local é um motor económico que ajuda os governos a aumentar as suas receitas fiscais e as comunidades“, afirma Arnaldo Muñoz, country manager da Airbnb em Portugal.

“Os anfitriões querem pagar sua justa parte de impostos e estamos muito satisfeitos por trabalhar com o governo para ajudá-los, ao mesmo tempo que continuamos a liderar esta indústria neste tema.” A Airbnb assume-se assim como a única plataforma a coletar um euro por cada noite passada na capital.

(Notícia atualizada às 17h25 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Airbnb entrega 3,1 milhões de euros em taxa turística a Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião