Dois maiores acionistas querem Sumol+Compal fora da bolsa

  • ECO e Lusa
  • 27 Novembro 2017

Dois acionistas com 85,85% do capital propuseram marcação de assembleia geral para deliberar sobre a saída da Sumol+Compal da bolsa. Querem comprar as ações de quem não votar favoravelmente.

A Refrigor e a Frildo, acionistas da Sumol+Compal, propuseram que a empresa seja retirada da bolsa e querem comprar as ações dos investidores que não votarem favoravelmente a essa intenção. A Refrigor detém 84,45% do capital da Sumol+Compal e 93,58% dos direitos de voto, enquanto a Frildo detém 1,40% da empresa cotada na bolsa de Lisboa.

Nesse sentido, solicitaram à presidente da mesa da assembleia geral a marcação de uma reunião para “deliberar sobre a perda da qualidade de sociedade aberta”. Fonte próxima da Refrigor, acionista maioritária, disse ao ECO que a empresa entende que “com o baixo free float não se justifica a manutenção da Sumol+Compal na Euronext Lisbon”. Segundo a fonte, “estão reunidas as condições”. “Têm que haver acionistas disponíveis para adquirirem as ações daqueles outros acionistas que não votarem a favor da perda da qualidade de sociedade aberta”, indicou.

Em comunicado enviado aos mercados, a Sumol+Compal informa que a proposta se encontra a aguardar “apreciação e decisão”. No pedido enviado à presidente da mesa, lê-se que há “uma clara concentração do capital social da Sumol+Compal, e dos respetivos de voto, na Refrigor”. “Da referida concentração resulta uma reduzida dispersão do capital da Sumol+Compal” e que essa concentração se manifesta “pelo aparente afastamento dos acionistas minoritários da vida societária e institucional” da empresa.

A Refrigor e a Frildo comprometem-se, aprovada a perda da qualidade de sociedade aberta, a “adquirir as ações dos acionistas que não tenham votado favoravelmente” a proposta. Na proposta, a Refrigor lembra que tem 93,58% dos direitos de voto da Sumol+Compal, empresa que está em bolsa desde 1987, havendo uma concentração neste acionista, que resulta numa “reduzida dispersão do capital”, ascendendo atualmente o free float a 6,42% do capital social.

“A Refrigor não pretende, a curto prazo, dispersar no mercado a participação por si detida na Sumol+Compal nem promover um aumento de capital da Sumol+Compal com recurso a subscrição pública”, afirma o acionista.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dois maiores acionistas querem Sumol+Compal fora da bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião