Câmara de Lisboa “não pode ser contra” a mudança do Infarmed

  • Ana Batalha Oliveira
  • 27 Novembro 2017

"Lisboa não pode ser contra medidas de desconcentração ou descentralização de serviços", argumenta o executivo de Fernando Medina em comunicado.

A Câmara Municipal de Lisboa, que até ao momento não se havia pronunciado acerca da mudança do Infarmed para o Porto, mostra-se confortável com “qualquer que seja a decisão”, alegando confiança no juízo do Governo.

“Lisboa não pode ser contra medidas de desconcentração ou descentralização de serviços”, escreve Fernando Medina na nota às redações. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa deseja ser coerente pois tem “defendido essas políticas a bem da coesão do país e da melhoria da eficácia dos serviços.”

“Confiamos que, qualquer que seja a decisão, o ministério da Saúde acautelará o bom funcionamento deste relevante organismo do Estado”, acrescenta a Câmara Municipal de Lisboa.

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado, mostrou-se “incrédula” quanto à hipótese de deslocação do Infarmed de Lisboa para o Porto. Contudo, diz que Adalberto Campos Fernandes, o ministro da Saúde, a informou de que esta seria apenas uma “intenção” da parte do Governo e não uma decisão.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Câmara de Lisboa “não pode ser contra” a mudança do Infarmed

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião