Wall Street sem rumo definido. Time dispara com proposta de compra

Wall Street abriu sem rumo, com o foco dos investidores a voltar-se para a prometida reforma fiscal da Administração Trump. A Time Inc. dispara com a proposta de compra apoiada pelos irmãos Koch.

Grupo Meredith ofereceu 1,8 mil milhões pela dona da Time Magazine.Tony Fischer/Flickr

As bolsas norte-americanas abriram sem rumo definido, numa semana em que as atenções dos investidores se voltam para a prometida reforma fiscal do Presidente Donald Trump. O dia está a ser marcado pelo anúncio de uma operação de aquisição sobre a dona da revista Time, que está a agradar aos investidores.

Neste contexto, o S&P 500 avança 0,09% para perto dos 2.604 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,07%. Já o industrial Dow Jones perde apenas 0,01%, num dia marcado pela queda dos preços do petróleo. A matéria-prima derrapa em Nova Iorque acima de 1%, com o barril a cotar nos 58,32 dólares.

Esta segunda-feira fica marcada por um negócio de grande dimensão no setor dos media. O grupo Meredith, apoiado financeiramente em 650 milhões de dólares pelos conhecidos irmãos Koch (através do fundo de investimento Koch Equity Development), ofereceu 18,50 dólares por cada ação da Time Inc., a dona da revista Time. A oferta, incluíndo a dívida, é de 2,8 mil milhões de dólares. Em bolsa, a empresa estava avaliada em 1,68 mil milhões.

Face à oferta, que ainda depende da aprovação dos reguladores, as ações da Time Inc. avançam 9,17% para 18,43 dólares. É um sinal de que os investidores estão confiantes de que a operação se vai concretizar. Contudo, segundo a Bloomberg, levantam-se dúvidas quanto a eventuais influências políticas nos conteúdos produzidos pelo grupo no futuro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street sem rumo definido. Time dispara com proposta de compra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião