Fed: Powell defende subida das taxas de juro

  • ECO
  • 28 Novembro 2017

O próximo presidente da Fed, Jerome Powell, manifestou-se a favor de um aumento das taxas de juro na maior economia do mundo, embora "não se possa prever o futuro".

No dia em que se espera a oficialização de Jerome Powell como próximo presidente da Reserva Federal dos EUA (Fed), o responsável afirmou, perante o Senado, que prevê um aumento nas taxas de juro. Powell segue desta forma a linha de ação da antecessora, Janet Yellen, passando uma mensagem de estabilidade.

Esperamos que as taxas de juro aumentem um pouco e que a dimensão do balanço diminua gradualmente“, afirmou Powell, citado pelo Financial Times (conteúdo em inglês/acesso pago). “Contudo, enquanto tentamos que as políticas sejam tão previsíveis quanto possível, não se pode prever o futuro com certezas”, acrescentou.

O sucessor de Yellen mostrou-se a favor de um “progresso continuado em direção a uma recuperação completa” para a economia americana, avança o jornal. Em relação a mudanças, mostrou-se aberto a reduzir as pressões regulatórias no setor financeiro. Comprometeu-se ainda com maiores níveis de transparência.

"Devemos estar preparados para responder decisivamente e com a força apropriada a ameaças novas e inesperadas”

Jerome Powell

“Devemos estar preparados para responder decisivamente e com a força apropriada a ameaças novas e inesperadas”, acrescentou. Apesar de afirmar que o sistema financeiro está “sem dúvida” mais forte e resiliente em relação há uma década, Powell salientou a necessidade de se continuar a aplicar reformas, que incluem “fortes níveis de capital e liquidez, testes de stress e planos de resolução“.

Powell deverá subir ao cargo de presidente da Fed no início de fevereiro — altura em que Yellen planeia abandonar por completo a instituição.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fed: Powell defende subida das taxas de juro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião