Euronext compra bolsa de Dublin, o seu sexto mercado

  • Marta Santos Silva
  • 30 Novembro 2017

Em parte por esperar vir a ter benefícios no pós-Brexit, a gestora de bolsas Euronext, que também detém a praça lisboeta, chegou a um acordo para adquirir a bolsa irlandesa.

A Euronext adquiriu a bolsa de Dublin por 137 milhões de euros, segundo um comunicado publicado esta quarta-feira no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), entrando assim no seu sexto mercado. A gestora de bolsas europeia que já possui a praça lisboeta assim como as bolsas de Paris, Amesterdão, Bruxelas e Londres (mercado de derivados) chega à Irlanda na expectativa de beneficiar do pós-Brexit.

De acordo com o comunicado, a operação deverá ser finalizada no primeiro trimestre de 2018, sendo que as cinco instituições financeiras irlandesas que detêm atualmente a bolsa de Dublin já concordaram em vender a totalidade das suas participações.

A aquisição da bolsa de Dublin, ou ISE, pela Euronext “fortalecerá a posição da Irlanda como uma âncora europeia forte para aproveitar as oportunidades do Brexit”, lê-se no comunicado. A Euronext espera ter retorno do capital investido já a partir do terceiro ano de funcionamento da bolsa irlandesa.

O CEO da Euronext, Stéphane Boujnah, foi citado no comunicado dizendo que a aquisição “representa um grande passo em frente na expansão do modelo federal da Euronext”. A CEO da ISE, Deidre Somers, acrescentou: “Este é um dia histórico na história da ISE que já dura 224 anos, e um grande dia para os nossos clientes e os nossos trabalhadores. A transação reconhece o valor significativo e posição de liderança no mercado que a ISE construiu”. No comunicado, a CEO da bolsa de Dublin afirma ainda que “a Euronext vai ser um grande complemento para a ISE”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Euronext compra bolsa de Dublin, o seu sexto mercado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião