5 coisas que vão marcar o dia

A Fed decide sobre a taxa de juro, a OPEP analisa resultados do corte e termina a conferência da Organização Mundial do Comércio. O INE divulga estatísticas da agricultura e o Eurostat do emprego.

Na última reunião do ano, os mercados esperam que a Reserva Federal aprove a terceira subida este ano da taxa de juro. Na Argentina, os ministros da Economia encerram a conferência da Organização Mundial do Comércio. Na Áustria, a OPEP revela o primeiro relatório após ter chegado a acordo para manter o corte na produção. Esta quarta-feira o INE divulga estatísticas sobre a agricultura e o Eurostat sobre o emprego.

Fed aumenta taxa de juro?

Esta quarta-feira os mercados ficam a conhecer a decisão da Reserva Federal sobre a taxa de juro. Uma sondagem da Bloomberg aponta para um novo aumento de 25 pontos base para o intervalo entre os 1,25% e os 1,5%. A decisão será anunciada pela ainda presidente da Fed, Janet Yellen, que cessa funções em fevereiro. O Comité do Senado aprovou Jerome Powell para suceder a Yellen. O nomeado de Trump também é a favor da subida da taxa de juro.

Termina conferência da Organização Mundial do Comércio

O ministro da Economia português vai estar no encerramento da Organização Mundial do Comércio. Manuel Caldeira Cabral estará presente na sessão plenária da 11.ª conferência ministerial que termina esta quarta-feira em Buenos Aires, Argentina. Estiveram presentes 164 delegações estrangeiras, onde se incluiu a União Europeia, representada pela comissária Cecilia Malmström. A responsável pelo comércio europeu está, neste momento, em conversações com os países da América do Sul para chegar a um acordo comercial com os Estados-membros.

Entre os incêndios e a seca, como correu o ano à agricultura?

O Instituto Nacional de Estatística divulga esta quarta-feira as Contas Económicas da Agricultura relativas a este ano. A primeira estimativa revelará qual é a variação do rendimento da atividade agrícola, por unidade de trabalho, em Portugal durante 2017. No ano passado, o INE apontava para um aumento de 5,8% do rendimento da atividade agrícola. As previsões agrícolas, também divulgadas pelo INE em novembro, apontavam para uma queda da produção de castanhas e arroz devido à seca.

OPEP divulga relatório mensal sobre o petróleo

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) vai divulgar o relatório mensal do mercado do petróleo esta quarta-feira, após ter chegado a um acordo para manter o corte na produção do combustível até ao final do próximo ano. Ao contrário do previsto, o acordo da OPEP contou também com a Rússia, contribuindo assim para a subida do preço do barril em Londres e Nova Iorque.

Quanto emprego está a ser criado na Zona Euro?

O Eurostat divulga esta quarta-feira os dados sobre a criação de emprego no terceiro trimestre na Zona Euro. Há meses que a taxa de desemprego tem vindo a cair, sendo que Portugal é um dos Estados-membros onde mais se tem criado emprego. No entanto, as contas nacionais do terceiro trimestre, divulgadas no final do mês passado pelo Instituto Nacional de Estatística, revelavam que, em Portugal, a criação de emprego desacelerou face ao segundo trimestre. De abril a junho o emprego tinha subido 3,6%, o que compara com os 3,1% registados de julho a setembro. A taxa de desemprego do terceiro trimestre ficou pelos 8,5%.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião